Trombose causa 165 internações diárias no Brasil, revelam médicos

Mais de 489 mil brasileiros foram internados para o tratamento de tromboses venosas entre janeiro de 2012 e agosto de 2023.

Trombose causa 165 internações diárias no Brasil, revelam médicos

Mais de 489 mil brasileiros foram internados para o tratamento de tromboses venosas entre janeiro de 2012 e agosto de 2023. Apenas nos oito primeiros meses deste ano, cerca de 165 pessoas foram hospitalizadas todos os dias na rede p√ļblica para tratar o problema. Os dados são de um levantamento inédito produzido pela Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV).

O estudo – divulgado nesta segunda-feira (6) - foi elaborado a partir de dados do Ministério da Sa√ļde e, de acordo com a entidade, evidencia a necessidade de os brasileiros terem cuidados di√°rios relacionados à sa√ļde vascular, j√° que o problema pode ser evitado por meio da adesão de medidas simples, como a pr√°tica de exerc√≠cios f√≠sicos e o controle do peso corporal. A doença pode desencadear quadros cl√≠nicos ainda mais graves, como a embolia pulmonar.

Entenda o que é a doença

A trombose venosa ocorre quando h√° a formação de co√°gulos de sangue dentro das veias, principalmente nos membros inferiores, impedindo o fluxo natural do sistema cardiovascular. A condição pode causar manchas arroxeadas ou avermelhadas nos locais afetados, acompanhadas de sensação de desconforto, dor e inchaço.

Se o co√°gulo se formar numa veia profunda, o quadro é denominado trombose venosa profunda. Se for formado numa veia superficial, é denominado tromboflebite superficial.

As principais causas do problema são alterações na coagulação, imobilidade prolongada ou lesão nos vasos sangu√≠neos. Para a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, o uso de anticoncepcionais, cigarro e histórico familiar são alguns dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de tromboses venosas.

Cen√°rio nacional

O levantamento mostra, também, aquilo que a SBACV considera "um cen√°rio preocupante" relacionado ao n√ļmero de internações para o tratamento da trombose. Os n√ļmeros indicam que - entre janeiro de 2012 e agosto de 2023 - 489.509 brasileiros foram internados para o tratamento da doença.

Os dados indicam, ainda, que o ano que mais registrou internações por tromboses venosas foi 2019, com 45.216 notificações. O Sudeste responde por 53% (258.658) de todos os registros. J√° o Norte contabiliza menos internações pela doença: 25.193 casos de trombose venosa notificados pelo Sistema √önico de Sa√ļde (SUS).

A média di√°ria de internações para tratamento da trombose venosa no pa√≠s supera a marca de 165 pacientes em 2023, recorde na série histórica iniciada em 2012. Em 2019, ano com mais registros de internações dentro do per√≠odo analisado, o total de procedimentos superou a média de 126 pacientes.

Estados

São Paulo foi o estado que mais contabilizou internações para o tratamento de tromboses venosas, com 131.446 registros no banco de dados do SUS. Em seguida, aparecem Minas Gerais (77.823), Paran√° (44.477) e Rio Grande do Sul (40.603).

J√° os estados menos expressivos no n√ļmero de internações pela doença são Roraima (485) e Acre (1.087) e Tocantins (1.527).

Embolia pulmonar

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular alerta que uma trombose não diagnosticada precocemente e, consequentemente, não tratada, pode levar à formação de √™mbolos que correm no interior das veias e que podem chegar ao pulmão, comprometendo a oxigenação.

Por meio do fluxo natural do sangue, esses √™mbolos podem chegar ao pulmão, causando a temida embolia pulmonar, quadro cl√≠nico caracterizado pela obstrução de canais sangu√≠neos no pulmão. A parcela do pulmão comprometida pela falta de oxigenação não pode ser recuperada e pode levar à morte.

O levantamento revela que 122.047 brasileiros j√° foram internados para o tratamento de embolia pulmonar. Em n√ļmeros absolutos, o Sudeste é a região que mais sofre com o problema, reunindo mais da metade dos registros do pa√≠s (56.065), seguido pelo Sul (26.687), Nordeste (12.756), Centro-Oeste (7.907) e Norte (1.745).

São Paulo foi o estado que mais contabilizou internações ao longo da série histórica, com 30.664 notificações. Ainda no ranking de unidades federativas com n√ļmeros mais expressivos estão Minas Gerais (19.771), Rio Grande do Sul (9.542) e Paran√° (7.707). J√° os estados com os menores n√ļmeros de internações são Amap√° (52), Roraima (61) e Acre (69).