O prefeito Rômulo Rippa definiu esta semana qual será a localização da futura ponte sobre o córrego Santa Rosa, que ligará as regiões Sudeste e Leste da área urbana de Porto Ferreira.
A definição vem após 5 meses de estudos de mobilidade realizados pela Prefeitura, que contratou para o serviço uma empresa especializada na área, a Tranzum Planejamento e Consultoria de Trânsito. Os estudos também tiveram acompanhamento de uma comissão formada por moradores das áreas diretamente interessadas na obra, como forma de dar transparência e lisura ao trabalho.

“Com responsabilidade, acompanhamos as explanações dos técnicos contratados para mensuração do fluxo de veículos, e, por conseguinte, cidadãos que serão beneficiados com a execução do novo dispositivo de acesso. Garantimos transparência e reafirmamos a lisura do processo de estudos, quando nomeamos uma comissão composta por moradores dos bairros adjacentes à região afetada, ao longo do processo os questionamentos e dúvidas foram apontados e respondidos”, explicou em despacho anexado ao processo do estudo de mobilidade.
Destes estudos resultaram sete sugestões de rotas. Após avaliações dos prós e contras de cada projeto apresentado e tendo em vista a viabilização de um grande anel viário, além das diretrizes do Plano de Mobilidade do município, o prefeito Rômulo Rippa recebeu relatório da Secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana e decidiu pela Rota 3.
Esta rota está assim definida: “A partir da avenida Júlio de Oliveira Dorta, segue até a avenida Mariano Procópio (Recreio Aeroporto / Tio Chico). Em rotatória a ser construída, segue em via a ser construída, passando defronte a AABB (Associação Atlética do Banco do Brasil), margeando o córrego Santa Rosa até uma nova rotatória (a ser construída). Desta rotatória segue uma via que transpõe o córrego Santa Rosa (ponte), ligando à rotatória já existente que acessa a avenida Alberto Suzigan (Jardim Santa Luzia).
“Tomar uma decisão deste porte não é objetivamente escolher agradar a todos, mas sim decidir a opção que dentro do supremo interesse público permita que o investimento a ser realizado atenda à necessidade do hoje e promova o progresso do amanhã”, disse Rômulo Rippa.
O prefeito ainda definiu que, caso o pacote de investimentos de R$ 26 milhões junto à Caixa Econômica Federal seja aprovado, não só as obras de execução da ponte, das rotatórias e da alça de acesso sejam custeados pelo município, mas também todas as obras de infraestrutura da avenida Mariano Procópio, “uma vez que estas serão essenciais para garantir a qualidade do trânsito desejado”, concluiu.
Agora, a Secretaria de Infraestrutura, Obras e Meio Ambiente deverá contratar empresa especializada na elaboração do projeto técnico e executivo, geométrico e estrutural, da nova ponte sobre o córrego Santa Rosa.
Justificativas
Na avaliação da Secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana, em despacho assinado pelo secretário da pasta, coronel Márcio Simplício, a rota 3 é a melhor alternativa por diversos motivos. Entre eles, destacam-se:
• Futura duplicação da avenida Júlio de Oliveira Dorta, entre a rua Antônio P. Dias e avenida Mariano Procópio, conforme dimensões previstas no Plano de Mobilidade Urbana.
• Futura pavimentação da avenida Mariano Procópio, também em dimensões definidas no PMU.
• Futura via a ser construída margeando o córrego, na mesma dimensão da Mariano Procópio, conforme PMU (9 metros de leito carroçável em cada pista, 2,5 metros de calçada e 2 metros de canteiro central).
• Possibilidade de se aplicar dimensões previstas no PMU às vias e ponte a serem construídas sobre o córrego, desembocando na avenida Alberto Suzigan, que já possui características previstas no Plano.
• Todas essas vias permitem um nível de serviço classificado como Nível A, proporcionando boa organização e fluidez do trânsito em toda a sua extensão.
• A Rota 3 poderá viabilizar futuramente uma ligação com a via Syrio Ignátios (PRF 040), via de trânsito rápido que permite a ligação com a rodovia Anhanguera.
• A Rota 3 também permitirá futuramente uma ligação entre bairros adjacentes à região central com a avenida Comendador Assad Taiar, por meio do prolongamento da avenida Alberto Suzigan após sua interseção com a avenida marginal Armando Scheffer, permitindo ligação viária importante no município, prevista no PMU.
Por Cléber Fabbri – MTb 30.118 - Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos
Fonte: www.portoferreira.sp.gov.br

0
0
0
s2sdefault