O prefeito Rômulo Rippa anunciou nesta quarta-feira (23/05) que a Prefeitura de Porto Ferreira concluiu os estudos técnicos para a construção de dispositivos do tipo rotatória para melhorar o tráfego na região do cruzamento das avenidas Engenheiro Nicolau de Vergueiro Forjaz, Ângelo Ramos, Rudolf Streit e rua Mathias Cardoso.
Hoje, o local conta com um conjunto de semáforos para ordenação do fluxo de tráfego. Porém, é notório que a região apresenta muitos problemas no trânsito, como engarrafamentos, acidentes e lentidão.

Com o objetivo de resolver os problemas ali registrados, a Seção de Mobilidade Urbana, ligada à Secretaria de Gestão, contratou a Fundação Para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial (Fipai), ligada à Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo (USP – Campus São Carlos), que apresentou o estudo técnico trazendo como melhor solução para o local a implantação de “rotatória em oito”.
Segundo o estudo, tal medida traria adequação por longo período, sem necessidade de sucessivas intervenções, já que o dispositivo operaria com nível de serviço de grande capacidade.
A equipe que desenvolveu o estudo foi dirigida pelo professor-doutor José Leomar Fernandes Júnior e contou ainda com a participação de quatro engenheiros civis e uma arquiteta.
Para se chegar à melhor proposta a fim de solucionar o problema os técnicos da Fipai utilizaram modelos de simulação de tráfego computacional aplicados à realidade local.
Obras
Para implantar os dispositivos sugeridos no estudo técnico a Prefeitura terá de aumentar a largura de um trecho da avenida Ângelo Ramos compreendido entre a esquina da avenida Engenheiro Nicolau até quase o Ginásio Adriano José Mariano, no sentido bairro-centro.
Assim, será necessário valer-se de uma área que está sendo utilizada há vários anos pela Sociedade Hípica de Porto Ferreira. Como trata-se de espaço cedido pelo município, será feito um processo para sua reintegração.
Da mesma forma, a Prefeitura deverá decretar de utilidade pública uma área de 400 metros quadrados, necessárias às obras, que é atualmente de propriedade da empresa Cargill. O objetivo posterior é viabilizar sua desapropriação amigável.
“Com essas obras vamos procurar resolver o maior problema de tráfego urbano enfrentado em Porto Ferreira. Contratamos especialistas de uma fundação da Universidade de São Paulo para realizar o estudo técnico e agora daremos continuidade aos devidos processos legais para, em seguida, iniciar a construção dos dispositivos”, explicou o prefeito Rômulo Rippa.
Fonte: Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos - Prefeitura de Porto Ferreira

0
0
0
s2sdefault

Jornal do Porto TV