TikTok propõe coalizão entre redes sociais para remover conteúdos sensíveis

TikTok propõe coalizão entre redes sociais para remover conteúdos sensíveis
Aplicativo diz ter retirado 105 milhƵes de vídeos que violaram suas diretrizes durante o primeiro semestre de 2020. Logo do aplicativo TikTok

Dado Ruvic/Reuters

O TikTok propôs nesta terƧa-feira (22) a criaĆ§Ć£o de uma coalizĆ£o com outras plataformas de redes sociais para evitar a disseminaĆ§Ć£o de conteúdos sensíveis.

A companhia também divulgou seu relatório de transparência que detalha a remoĆ§Ć£o de vídeos no aplicativo durante o primeiro semestre de 2020.

Vanessa Pappas, atual líder do TikTok, anunciou ter enviado uma carta para 9 plataformas defendendo a criaĆ§Ć£o de um "memorando de entendimento" para criar um sistema que permita que as empresas comuniquem umas às outras sobre conteúdos sensíveis.

Ao G1, a assessoria do TikTok informou que o documento foi enviado para o Facebook, Google, Instagram, Pinterest, Reddit, Snapchat, Twitch, Twitter e YouTube.

"Recentemente, as plataformas sociais e de conteúdo foram mais uma vez desafiadas pela publicaĆ§Ć£o e postagem cruzada de conteúdo com suicídio explícito que afetou a todos nós – assim como nossas equipes, usuĆ”rios e comunidades", escreveu.

Saiba mais: A luta para remover do TikTok vídeo de suicídio que viralizou

A executiva disse que os esforƧos de proteĆ§Ć£o dos usuĆ”rios seria "impulsionado significativamente por meio de uma abordagem formal e colaborativa de identificaĆ§Ć£o precoce e notificaĆ§Ć£o entre os participantes da indústria sobre conteúdo grĆ”fico extremamente violento, incluindo o suicídio."

Vídeos removidos do TikTok

A rede social disse ter removido quase 105 mil vídeos que violavam as políticas de comunidade ou termos de serviƧo. Segundo o TikTok, isso é menos do que 1% do total de vídeos compartilhados no app.

Conteúdos com nudez adulta e atividades sexuais sĆ£o o principal alvo das remoƧƵes, com 30,9% das ocorrências.

Em seguida aparecem conteúdos que possam violar a seguranƧa de menores (22,3%), atividades ilegais e mercadorias reguladas (19,6%), suicídio, automutilaĆ§Ć£o e atos perigosos (13,4%) e conteúdo violento (8,7%).

Assim como outras plataformas, o aplicativo utiliza sistemas automatizados para a remoĆ§Ć£o de conteúdos.

Saiba mais: Criticadas por conteúdo violento, redes sociais dizem que investem em tecnologia para remover postagens mais rĆ”pido

O relatório indica que 96,4% dos vídeos foram retirados antes de um usuĆ”rio notificar os moderadores, e 90,3% saíram do ar sem nenhuma visualizaĆ§Ć£o.

O Brasil é o 4Āŗ país com mais vídeos removidos, com 5,5 milhƵes de conteúdos retirados ao ar.

O campeĆ£o é a Índia, com 37,6 milhƵes de remoƧƵes – o aplicativo, porém, foi banido do país em agosto.

Os números de remoƧƵes por país:

Índia - 37,6 milhƵes;

Estados Unidos - 9,8 milhƵes;

PaquistĆ£o - 6,4 milhƵes;

Brasil - 5,5 milhƵes;

Reino Unido - 2,9 milhƵes.

Esses conteúdos nĆ£o incluem o vídeo de suicídio que viralizou na plataforma em setembro. Os dados vĆ£o de janeiro a junho de 2020.

O relatório indica também solicitaƧƵes jurídicas com pedidos de informaƧƵes de usuĆ”rios. Isso pode acontecer na tentativa de identificar a pessoa responsĆ”vel por uma publicaĆ§Ć£o, por exemplo.

O TikTok diz que analisa se a autoridade que realizou o pedido tem o direito de acessar essas informaƧƵes.

No Brasil, só houve um pedido do tipo, mas o aplicativo nĆ£o cedeu as informaƧƵes.

Veja os números:

Índia: 1187 pedidos – 79% atendidos;

EUA: 222 pedidos – 85% foram atendidos;

Alemanha: 30 pedidos – 30% atendidos;

Reino Unido: 12 pedidos – 58% atendidos;

JapĆ£o: 12 pedidos – 44% atendidos.

HĆ” dados sobre solicitaƧƵes de governos para a restriĆ§Ć£o de conteúdos de acordo com as leis locais. O Brasil nĆ£o realizou pedidos como esse. Veja os dados:

Rússia: 296 remoƧƵes ou restriƧƵes após 15 pedidos;

Índia: 225 remoƧƵes ou restriƧƵes após 55 pedidos;

PaquistĆ£o: 129 remoƧƵes ou restriƧƵes após 4 pedidos;

Bélgica: 8 remoƧƵes ou restriƧƵes após 10 pedidos;

AustrĆ”lia: 5 remoƧƵes ou restriƧƵes após 13 pedidos.

O TikTok estĆ” em meio a uma negociaĆ§Ć£o para permanecer funcionando nos Estados Unidos, após o presidente americano Donald Trump banir o TikTok do país caso ele nĆ£o fosse vendido.

A companhia tem um acordo encaminhado com as americanas Oracle e Walmart para a criaĆ§Ć£o de um novo negócio nos EUA, chamado TikTok Global. No entanto, hĆ” divergências sobre o controle da operaĆ§Ć£o.

Saiba mais: 'Novela' do TikTok nos EUA continua: entenda os capítulos mais recentes e o que deve vir por aí

VÍDEO: ConheƧa o TikTok

TikTok: o aplicativo chinês que conquistou milhƵes de usuĆ”rios