A Associação Comercial e Empresarial de Porto Ferreira foi finalista dentre 420 associações do Estado de São Paulo no Prêmio ACMais 2017, da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo). A ACEPF ficou com o primeiro lugar como entidade representativa em Qualidade, Serviços, Resultados, Melhores Práticas BoaVista-SCPC.

Estiverem presentes no evento, que reuniu cerca de 1.250 representantes das ACs do Estado, o presidente Leandro Gentina e o gerente administrativo Dimas J. da S. Franco, que na oportunidade foram homenageados pela Facesp e BoaVista SCPC.
Concorreram na categoria em que a ACEPF ficou com o terceiro lugar as associações que atualizaram a pesquisa de desenvolvimento organizacional – PDO 2017 e que melhor apresentaram crescimento financeiro e na quantidade de Novos Registros de Débitos, além do desempenho na Gestão Comercial, Gestão de Oportunidades, Padronização e utilização da Marca da BoaVista SCPC e Parceria comercial, assim como não possuir pendências financeiras com a BoaVista SCPC.
A entrega do prêmio ocorreu no 18º Congresso da Facesp, de 22 a 24 de novembro, no Hotel Tauá, em Atibaia (SP). Os empresários paulistas manifestaram suas posições em relação à situação política, econômica e social do Brasil, no sentido de colaborar para a superação dos graves problemas nacionais e para a retomada do desenvolvimento do País.
Reconheceram que os principais indicadores da economia apontam para o início da retomada do crescimento, propiciada pelas medidas do governo e pela redução das taxas de juros, o que permite esperar para 2018 um desempenho mais favorável da economia, com reflexos positivos sobre o emprego, beneficiando a arrecadação fiscal e melhorando o resultado das contas públicas.
Advertiram, no entanto, que a profundidade e a duração da recessão que afetou o País nos últimos três anos deixaram sequelas graves no organismo econômico e no tecido social, exigindo medidas específicas para amenizar os enormes custos para as empresas, especialmente as de micro e pequeno portes, e para os trabalhadores, pois o desemprego ainda é alto.

0
0
0
s2sdefault