Nos últimos 30 dias foram confirmados mais quatro casos de dengue em Porto Ferreira pela Seção de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde. Os números mostram a diminuição no avanço da doença no município, embora os cuidados para eliminar água parada e criadouros devem ser constantes.
Com esta nova atualização, agora são 215 casos de dengue registrados em 2019, sendo que 39 suspeitas ainda aguardam por resultados de exames.

A Seção de Controle de Vetores alerta que a colaboração da população é fundamental para barrar o avanço da doença, tomando cuidados em relação ao mosquito Aedes aegypti, transmissor não só da dengue, mas também da chikungunya – a cidade registrou um caso em 2019 –, zika e febre amarela.
Importante ressaltar que o mosquito continua agindo mesmo com o clima mais frio. Portanto, todos devem colaborar e eliminar a água parada e os possíveis criadouros.
Estudos científicos recentes alertam que o mosquito transmissor está se adaptando às condições climáticas adversas, como a estiagem e o frio. A dengue, que tinha picos de transmissão apenas no período de chuva e calor, agora tem praticamente transmissão contínua, sem interrupção nos períodos de seca e frio, diferentemente do que acontecia antes.
O método mais eficiente de combate ao mosquito continua sendo a eliminação dos criadouros. Se não tiver criadouro, se não tiver água parada, não tem mosquito. A população é parte importante nas ações de combate, já que em algumas localidades cerca de 80% dos criadouros estão dentro das residências. Um único foco em uma casa pode comprometer o combate à dengue no bairro todo.
Cléber Fabbri – MTb 30.118 - Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

0
0
0
s2sdefault