A Paróquia de Nossa Senhora da Assunção, localizada na Vila Sybilla, em Porto Ferreira, está em festa. Neste mês de agosto são comemorados 10 anos de fundação da Paróquia.
Para falar sobre o acontecimento, a reportagem do Jornal do Porto esteve na manhã de quarta-feira (7) com o padre Eduardo Milaré, que abordou diversos assuntos referentes à Paróquia, como os trabalhos religiosos e sociais desenvolvidos, além de falar também sobre sua própria trajetória como padre.

Eduardo Milaré é de Limeira (SP) e ali começou como coroinha na Igreja Católica, na Paróquia de São Cristóvão. Foi então incentivado pelo padre Sebastião, já falecido, a seguir sua vocação para se tornar padre, cuja ordenação aconteceu em dezembro de 2016. Logo em fevereiro do ano seguinte o bispo dom Vilson de Oliveira, então à frente da Diocese, designou o padre Eduardo para a Paróquia de Nossa Senhora da Assunção, no lugar do padre Felipe de Moraes Negro.
Aliás, padre Eduardo lamenta na entrevista as acusações que seu antecessor vem sofrendo por suspeita de desvios de verbas e, mais recentemente, até de abuso sexual. “Chateou muitas pessoas quando isso veio à tona. Infelizmente, todos nós erramos. E o erro dele foi um erro feio, não só onde ele estava nesses últimos anos, mas aqui em Porto Ferreira também encontrei um quadro muito complicado. Muitas pessoas ficaram chateadas, se afastaram da comunidade, me rejeitaram até. E aqui é um quadro muito diferente daquilo que eu estava acostumado. Apesar de ter passado aqui como seminarista, no ano de 2011 e 2012 no Santuário [de São Sebastião], a realidade da Paróquia é diferente do Santuário”, disse Eduardo.
Desde que assumiu a Paróquia promoveu melhorias nas comunidades de São Francisco, no Jardim Porto Seguro, e Nossa Senhora de Fátima, no Jardim Sérgio Dornelles. Foram feitas pequenas reformas e pintura, entre outros serviços. As benfeitorias também foram feitas no prédio da própria Paróquia, como no sistema de som, jardinagem etc. “Por termos ainda 2 anos e meio acredito que já fizemos coisas positivas”, disse.
Ele conta que aos poucos tem melhorado o público presente nas missas. “O povo é muito resistente. Nós, padres, não agradamos todo mundo. Então tem gente que, quando o padre chega, vai embora. Mas outros chegam. Eu acredito que nos primeiros meses que eu celebrei, nas comunidades iam 20, 30 pessoas. Hoje, já são 80, 100 pessoas. Temos colhido algum fruto”, conta. Ele disse ainda que no início foi difícil a aceitação de algumas pessoas a um padre tão novo. Eduardo tem 29 anos de idade.
Trabalho social – O padre Eduardo falou também sobre os trabalhos sociais desenvolvidos pela Paróquia.
“Um trabalho de muito amor e muito carinho produz frutos. Nós não precisamos viver de grandes eventos, de grandiosidades, de pompas. Não. É o trabalho da formiguinha, do pouco, que vai transformando a realidade da vida das pessoas, seja no âmbito espiritual, seja na parte de auxílio, nas questões políticas, sociais”.
São três Pastorais em atividade na Paróquia de âmbito social: da Criança, da Pessoa Idosa e da Saúde. Na Pastoral da Saúde os membros levam a eucaristia àqueles que estão enfermos. “Levamos o conforto espiritual”, diz o padre.
A Pastoral da Pessoa Idosa acompanha pessoas da terceira idade moradoras do bairro. São feitas visitas e acompanhamento. “O papel dessa Pastoral é fazer a ponte entre o Estado e o idoso, orientar sobre os programas disponíveis do município, deixá-los atentos”.
Já a Pastoral da Criança faz as pesagens para controlar desde a desnutrição quanto à obesidade. “Temos acompanhado para ver se as crianças têm se nutrido daquilo que é necessário, como tem sido as alimentações”.
Fora isso, o Movimento da Mãe Rainha faz um trabalho com famílias carentes, com a distribuição mensal de cestas básicas para 30 famílias. O padre diz que o número de necessitados aumentou, ao mesmo tempo em que havia diminuída a arrecadação de alimentos. Assim, foi criada a Missa da Partilha. Na penúltima semana do mês a Paróquia dá uma sacola aos fiéis e na última semana as famílias trazem os mantimentos nessas sacolas. “As pessoas têm colaborado de forma que tem triplicado os alimentos. Nós fomos correspondidos a este apelo”, disse.
Outra ação social recente ocorreu na procissão de Corpus Christi. Ao invés do tradicional tapete de pó de serra, foi feito um tapete com cobertores doados pela comunidade. Todos esses cobertores foram doados para famílias assistidas pela Pastoral da Criança, entidades sociais da cidade e para moradores do Jardim Anésia 2.
“Como diz São Tiago na sua carta, a fé sem obra é morta. Então celebrar 10 anos não é só dizer ‘estamos aqui há 10 anos, nessa Igreja, que é Paróquia e tem um CNPJ’. Não, não é só isso. É uma história de fé, de vida, de doação e de partilha. Nós temos feito um trabalho de caridade junto com o caminhar da Igreja”, destacou.
Padre Eduardo diz que este trabalho ainda é pequeno e “poderia ser bem maior”. Ele conta que tem um sonho de construir salas na Paróquia para receber um dentista, um advogado, um psicólogo, para ampliar o trabalho social. “Como a gente tem essa falta de espaço, não tem como estarmos realizando isso. Mas tudo ao seu tempo. A gente acredita no tempo de Deus e está caminhando pra isso”, completou.
Comemorações – Padre Eduardo diz que a comunidade está num ano de festa, “um ano jubilar”, desde 2018. Como parte das comemorações, eles já fizeram uma visita à Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida do Norte (SP), em junho do ano passado, e devem retornar em outra viagem em setembro. “O povo bíblico faz peregrinações. É algo bíblico. Fizemos a primeira visita para que tivéssemos um bom ano e agora no dia 22 de setembro nós vamos novamente ao Santuário, em romaria paroquial, para agradecermos esses 10 anos de Paróquia”.
Ao final, convidou a comunidade para celebrar. Este ano não haverá uma novena (9 dias), mas sim uma setena (7 dias). “Vamos celebrar as sete alegrias de Nossa Senhora. Começamos domingo (11) às 18 horas. Depois, de segunda a quinta-feira às 19h30. Na sexta-feira, às 19h. Sábado, às 18h e no dia 18, domingo, começa às 16h30, com recitação do terço, e às 17h30 a missa em louvor a Nossa Senhora da Assunção. Haverá a participação de vários padres da Diocese. No dia 24, encerrando as festividades, teremos uma missa sertaneja, com o Coral Raiz Brasil, de Americana”.
Na parte social haverá a quermesse. São barracas com comidas típicas, binguinhos às sextas-feiras e domingos, shows ao vivo aos sábados, entre outras atrações.
As barracas, que aceitam cartão de crédito e débito, servem frango assado, frango a passarinho, polenta, mandioca, batata frita, cachorro quente, pastel, lanche de pernil, mini pizza doce e salgada, macarrão ao vivo, sucos, cerveja, chope, refrigerante e água. Ainda tem roleta, pescaria e brinquedos para as crianças.
São 500 metros quadrados de área coberta, em tendas armadas na avenida Francisco Peripato.
A Festa vai funcionar nos dias 9, 10, 11, 16, 17, 18, 23 e 24 de agosto. Neste sábado (10) a atração é a dupla Elton & Robson. No dia 17 o show é com a dupla Humberto Viola & Luiz Fernando. Já para o dia 24 está programado um grande show de prêmios, com R$ 3 mil sendo sorteados. As cartelas de R$ 15 já podem ser adquiridas.

 

 

0
0
0
s2sdefault