Facebook desabilita contas de acadêmicos que pesquisavam sobre desinformação na rede social

Facebook desabilita contas de acadêmicos que pesquisavam sobre desinformação na rede social
Plataforma afirmou que pesquisa 'n√£o pode ser justificativa para comprometer privacidade'. Grupo que foi banido diz que plataforma est√° silenciando seu trabalho. Fachada do Facebook

Richard Drew/AP Photo

O Facebook baniu na última ter√ßa-feira (3) as contas pessoais de acadêmicos da Universidade de Nova York que pesquisavam sobre transparência e desinforma√ß√£o na rede social.

A plataforma justificou a decis√£o afirmando que o grupo desrespeitou as regras sobre raspagem de dados e comprometeu a privacidade de seus usu√°rios. Os pesquisadores afirmam que est√£o sendo silenciados por exporem os problemas da empresa.

O Facebook também retirou o acesso dos acadêmicos às APIs, um conjunto de ferramentas que é usado para compartilhar dados da rede social com outros servi√ßos, desabilitou acesso a determinados aplicativos e removeu p√°ginas associadas à pesquisa.

Os pesquisadores fazem parte de um projeto chamado NYU Ad Observatory, que pede para que volunt√°rios baixem uma extens√£o para navegadores web que coleta dados sobre quais anúncios políticos elas veem no Facebook.

Parte dessas informa√ß√Ķes s√£o disponibilizadas publicamente pela rede social a partir de um recurso chamado "Biblioteca de Anúncios". Porém, dados que indicam o porquê de um usu√°rio estar vendo aquela publicidade n√£o é revelado nesta ferramenta – uma das informa√ß√Ķes coletadas pela pesquisa.

Laura Edelson, uma pesquisadora envolvida no projeto que teve sua conta pessoal banida pelo Facebook, disse que a empresa quer acabar com a investigação independente de sua plataforma.

"O Facebook est√° usando a privacidade do usu√°rio, uma cren√ßa central que sempre colocamos em primeiro lugar em nosso trabalho, como um pretexto para fazer isso", afirmou em um comunicado enviado à Bloomberg.

A rede social j√° se envolveu em polêmicas relacionadas à coleta de informa√ß√Ķes feitas por terceiros em sua plataforma – o mais famoso foi o caso Cambridge Analytica, que usou um aplicativo para coletar informa√ß√Ķes privadas de 87 milh√Ķes de usu√°rios sem seu conhecimento.

A Comiss√£o Federal de Comércio (FTC) dos Estados Unidos multou o Facebook em US$ 5 bilh√Ķes pelo caso e exigiu novos controles de privacidade.

A empresa afirmou que é necess√°rio restringir os pesquisadores da Universidade de Nova York por causa das diretrizes da FTC, algo que é contestado pelos acadêmicos.