Bilionário acusa Zuckerberg de acordo informal com Donald Trump

Bilionário acusa Zuckerberg de acordo informal com Donald Trump

Est√° em curso "um acordo ou opera√ß√£o informal de assistência mútua entre Trump e o Facebook". Essa é a acusa√ß√£o de George Soros, bilion√°rio e investidor de grandes negócios em todo mundo. O executivo escreveu uma carta aberta publicada pelo Financial Times nesta ter√ßa-feira (18) em que aponta falhas da chefia da rede social, em especial o CEO Mark Zuckerberg e a chefe de opera√ß√Ķes Sheryl Sandberg.

O argumento de Soros se baseia na recusa do Facebook em derrubar publicidade política na plataforma, a exemplo do que fez o Twitter. Segundo o bilion√°rio, isso estaria "ajudando Trump a se reeleger". Por conta disso, ele foi enf√°tico e pediu a saída de ambos.

"Repito minha proposta: Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg devem ser removidos do controle do Facebook (nem preciso dizer que apoio uma regulamenta√ß√£o do governo sobre as plataformas de redes sociais)", escreveu. Por repetir, o executivo se refere a outro texto publicado em 31 de janeiro no The New York Times, em que também fez crítica a ambos.

-
Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.
-

Para Soros, a empresa est√° sendo passiva demais e n√£o precisa aguardar regulamenta√ß√£o do governo para derrubar as campanhas políticas. "Se h√° qualquer dúvida quanto a se um anúncio é político, ele deveria pecar pelo zelo e recusar-se a public√°-lo. É improv√°vel que o Facebook siga por esse caminho", criticou.

A suspeita de Soros é de que haja acordo entre a empresa e o atual presidente, de forma que Trump poderia pressionar para que houvesse menor regulamenta√ß√£o à rede social.

O executivo e a empresa têm um histórico de embates desde 2018. No final daquele ano, uma matéria do The New York Times revelou que o Facebook contratou uma empresa de rela√ß√Ķes públicas, chamada Definers, para propagar a informa√ß√£o de que Soros patrocinava grupos ativistas contra a rede social. Depois disso, o Facebook disse ter rompido com a Definers e que n√£o teria pressionado jornalistas a publicarem sobre o assunto.

O texto de Soros foi ar no Financial Times um dia após uma publica√ß√£o de Zuckerberg ao jornal. Em visita à Europa, o CEO est√° conversando com políticos locais para a aprova√ß√£o de regulamenta√ß√Ķes a redes sociais. "Para deixar claro, n√£o se trata de transferir as responsabilidades. O Facebook n√£o est√° esperando pela regulamenta√ß√£o; estamos continuamente progredindo nessa quest√£o. Mas acho que regras mais claras beneficiariam todos", escreveu Zuckerberg.

O argumento de Zuckerberg é de que as redes sociais s√£o diferentes da imprensa, portanto exigem uma regulamenta√ß√£o específica. Em entrevista recente, o comiss√°rio europeu, Thierry Breton, afirmou que n√£o deve haver uma legisla√ß√£o especifica somente para a rede social. "N√£o cabe a nós nos adaptarmos a essa empresa (Facebook), mas sim à empresa se adaptar a nós", rebateu.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: