Assis Chateaubriand - O Rei Do Algodão Em Porto Ferreira

Por André Bellini em 27/01/2020 às 09:09:25

Na edição anterior do "Jornal do Porto" (17 de janeiro de 2020, Caderno 2, p.3) foi publicada o primeiro artigo desta temática histórica, com o título "O Cidadão Kane brasileiro". Ao final do artigo, afirmou-se que os próximos escritos discorreriam sobre as relações de Assis Chateaubriand com Porto Ferreira. Cidadãos que se encontram na casa dos 70 ou 80 anos devem se lembrar do período que estes fatos se desenvolveram.

Pois bem! Vamos à ordem do dia!


1950 – UM ANO AUSPICIOSO

Em julho de 1950, o Jornal "O Ferreirense" trouxe uma gigantesca reportagem para suas páginas escrita por Assis Chateabriand. Com o título de "Segura o teu homem", tratava-se da cópia de um artigo publicado no Diário de São Paulo, em 13 de julho de 1950. O artigo relatava uma homenagem que Horácio Lafer e o Dr. Erlindo Salzano receberam pelos serviços prestados ao município de Porto Ferreira, para a qual Assis Chateaubriand também fora convidado. Horácio Lafer era Deputado Federal eleito em 1945 e Salzano ocupava cargo em comissão no governo de Adhemar de Barros. Ambos estavam em campanha política. Em outubro daquele ano, Lafer ficaria com a suplência, na tentativa de reeleição, e o ferreirense Dr. Erlindo Salzano, seria eleito para o cargo de Vice-Governador do Estado de São Paulo.

Chateaubriand se aproveitou da ocasião para escrever o artigo e, obviamente, trazer luz sobre suas relevantes ações nas terras do balseiro. Assim, ele iniciou o texto falando sobre uma comissão de médicos locais que solicitaram ajuda para o fazendeiro paraibano, o qual há 5 anos possuía a fazenda Rio Corrente. No conjunto da homenagem estava a inauguração do Posto de Puericultura, que "em nome de tio Candinho Fontoura, pela Campanha Pró Monumento Monteiro Lobato", Chatô ofereceu ao município de Porto Ferreira[1], para combater a mortalidade infantil. Segundo dados do IBGE, a região Sudeste, em 1950 possuía uma mortalidade infantil de 122 para cada mil habitantes; em 2010 essa taxa estava em 16,6 por mil[2].

Seguidamente, o artigo do jornal "O Ferreirense" se desenvolveu sobre a Fazenda Rio Corrente (zona Norte de Porto Ferreira). Esta gleba, com 418 alqueires, recebeu o "Plano de Recuperação do Solo Paulista"[3], tendo, em 1950, colhido 6.600 arrobas de algodão, tirando uma média de 200 arrobas por alqueire, que correspondia a "3 vezes a media da terra bandeirante " (provavelmente o Estado de São Paulo).

O MILAGRE AGRÍCOLA DO REI DO ALGODÃO FERREIRENSE

Chateaubriand enfrentou inúmeras pragas agrícolas que devastavam o algodoal: curuquerê, lagarta rosada e o pulgão. Segundo ele, a colheita no Estado de São Paulo seria catastrófica naquele ano: dos 350 milhões de algodão em pluma colhidos no passado, não colheriam nem 150 milhões com a média de 50 arrobas por alqueire. Os americanos tinham a média de 160 a 180 arrobas por alqueire. Portanto, a Fazenda Rio Corrente estava acima dos EUA em produtividade. Qual era o segredo?

De acordo com Chatô, o Rei do Algodão ferreirense, era necessário praticar a rotina inglesa aplicada no Sudão[4] (nordeste da África) e a americana, do "Middle
West" e do sul dos EUA. Para tanto, a ação conjunta dos meeiros e colonos combinada com a utilização de fertilizantes e defensivos agrícolas, somados a um maquinário tecnológico de ponta (tratores Fiat, arados de 5 discos e destocador mecânico) permitiram o milagre agrícola do algodão na Fazenda Rio Corrente.

Pode parecer estranho relatar praticamente o óbvio do que é realizado atualmente na rotina do agronegócio. Entretanto, em 1960, apenas 30% das áreas cultivadas no Brasil usavam adubação com a média de 18 quilos por hectare.

(continua na próxima edição)

[1] Campanha Pró Monumento de Monteiro Lobato - parece que a campanha realizada por Chateaubriand, com vários financiadores (Klabin, Lafer) inaugurou postos de puericultura em várias cidades, como, por exemplo, em Fartura-SP, no ano de 1951. Trata-se de um assunto a ser pesquisado.

[2] Pesquisado em: (https://brasilescola.uol.com.br/brasil/mortalidade-infantil-no-brasil.htm).

[3] Plano de Recuperação do Solo Paulista – este termo merece ser pesquisado a fim de elucidar se realmente havia uma campanha na época ou se tratava apenas de mais uma das idéias da cabeça de Chatô.

[4] Sudão – submetido ao domínio egipício-britânico até 1953, obtendo independência total em 1956.


Fonte: Renan Arnoni - Historiador

Cavaliani