Hilary Clinton critica Mark Zuckerberg e o acusa de ser "autoritário"

Hilary Clinton critica Mark Zuckerberg e o acusa de ser "autoritário"

Fora dos holofotes desde quando perdeu a eleição para Donald Trump, Hilary Clinton vez ou outra aparece dando seus pitacos por aí, seja sobre política, seja sobre outros assuntos. Dessa vez, a ex-senadora pelo partido Democrata resolveu atacar o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg. Em entrevista ao The Atlantic, Hilary disse que o executivo não está disposto a combater a desinformação em sua rede social, chamando seu modo de agir como "autoritário".

"Às vezes sinto que voc√™ est√° negociando com uma pot√™ncia estrangeira. Ele é imensamente poderoso. Esta é uma empresa global que tem enorme influ√™ncia de maneiras que estamos apenas come√ßando a entender", disse a ex-candidata presidencial democrata durante uma entrevista no Festival de Cinema de Sundance. Clinton estava no evento, que aconteceu no √ļltimo s√°bado (25) para o lan√ßamento da série-document√°rio de quatro horas Hillary, que estrear√° na Hulu em mar√ßo.

Desde a elei√ß√£o presidencial dos Estados Unidos, em 2016, o Facebook tenta provar que est√° fazendo o que deve para combater as informa√ß√Ķes erradas no site e impedir a interfer√™ncia de R√ļssia, Ir√£ e outros pa√≠ses em suas elei√ß√Ķes. As observa√ß√Ķes de Clinton destacam a controversa abordagem da rede social ao discurso pol√≠tico enquanto tenta encontrar um equil√≠brio entre liberdade de express√£o e combate à desinforma√ß√£o durante o pleito. O Facebook n√£o envia discurso de pol√≠ticos a verificadores de fatos de terceiros e se recusa a proibir an√ļncios pol√≠ticos, argumentando que isso favoreceria os titulares de contas e quem a m√≠dia escolher cobrir.

-
Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
-

Imagem: CNET

"No meu modo de ver, eles se contorceram para argumentar sobre liberdade de express√£o e censura porque é do seu interesse comercial", comentou Clinton, que alegou estar surpresa pelo "poder das mentiras" e teorias da conspira√ß√£o que surgiram na internet durante as elei√ß√Ķes de 2016.

Clinton fez refer√™ncias claras a um v√≠deo da deputada Nancy Pelosi, que fora medicada antes de um discurso na c√Ęmara e que estava claramente alterada enquanto falava, como se estivesse b√™bada. A ent√£o candidata à presid√™ncia disse que entrou em contato com o Facebook para remover o v√≠deo depois que o Google o retirou do YouTube. "Por que voc√™s est√£o mantendo isso? Isso é flagrantemente falso. Seus concorrentes descartaram. E a resposta deles foi: 'Achamos que nossos usu√°rios podem se decidir'", disse Clinton.

A ex-senadora também afirmou categoricamente que o objetivo do Facebook é de reeleger Donald Trump. Procurada, a empresa n√£o quis se manifestar.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: