Dilsinho se apresenta pela primeira vez no Planeta: 'Dá um friozinho na barriga diferente'

Por Jornal do Porto em 24/01/2020 às 07:35:17

Pagodeiro, que tem uma média de 20 shows por mês, faz sua estreia na sexta-feira, dia 31 de janeiro. Ele promete um show especial para o festival. Cantor vai fazer a primeira participação no Planeta Atlântida

Rodolfo Magalhães / Divulgação

O cantor carioca Dilsinho, vai fazer sua estreia no Planeta Atlântida 2020. A apresentação do pagodeiro acontece na sexta-feira, 31 de janeiro.

"Pisar pela primeira vez em um palco sempre dá um friozinho na barriga diferente. Estou preparando um show especial para o festival", disse em entrevista ao G1.

Nascido e criado na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio de Janeiro, Dilsinho se considera um apaixonado por música desde infância. Mas foi como compositor que começou a ganhar espaço no mundo do samba, escrevendo para nomes como Thiaguinho, Bom Gosto e Alexandre Pires.

"Nessa época fiz grandes amigos e comecei a ter mais espaço no meio como compositor, mas o meu sonho sempre foi cantar, queria ouvir minha voz na rádio. Foi aí que decidi agarrar todas as oportunidades que apareciam", conta.

Hoje, com uma média de 20 shows por mês, Dilsinho está conquistando cada vez mais fãs e prestígio no mercado musical, com muitos hits como "Pouco a pouco", "12 horas", "Refém" e "Péssimo Negócio".

"Cada música tem suas características, mas o resultado sempre traz o mesmo sentimento: orgulho", conta.

Em entrevista ao G1, o cantor fala sobre os últimos lançamentos, as parcerias e os planos para 2020.

G1 - Vai ser a sua primeira vez no Planeta Atlântida. O que espera do festival?

Dilsinho - Pisar pela primeira vez em um palco sempre dá um friozinho na barriga diferente. Estou preparando um show especial para o festival, com sucessos, músicas do meu novo projeto e dos anteriores também, e prometo não deixar ninguém parado. Espero que todos curtam junto comigo!

G1 - São muitos hits na sua carreira. "12 horas", "Refém", "Péssimo Negócio" e mais recentemente "Onze e pouquinho", por exemplo, que está bombando nas rádios aqui no Rio Grande do Sul. Fala um pouco sobre como é o processo de produção dessas músicas e porque você acha que elas se tornam hits?

Dilsinho - O processo por trás do lançamento de uma música tem muita coisa envolvida. Letra, arranjo, produção, guias, estratégia de lançamento, enfim, muitas coisas. Durante todas essas etapas as vezes conseguimos identificar, através do nosso feeling, se a música vai ser um sucesso ou não. Outras vezes acontece de gostarmos, mas aí não colocamos muita "fé" nela, e no final ela estoura. Cada música tem suas características, mas o resultado sempre traz o mesmo sentimento: orgulho.

G1 - Você também tem muitas parcerias com artistas nacionais como Ivete, Luan Santana, Sorriso Maroto, entre outros. Como surgem essas parcerias e qual a importância delas pra você?

Dilsinho - É indescritível você gravar uma música para um projeto seu com uma pessoa que você é fã. A ansiedade começa logo no convite, que fica aquela sensação de "será que vai rolar?" [risos]. Todos os feats que eu fiz até hoje eu tenho muito carinho muito grande e todos os artistas são meus amigos. Recentemente gravei meu novo DVD "Open House", em Recife/PE, e tive a participações do Thiaguinho, Henrique e Juliano, Marco e Atitude 67.

G1 - Você tem marcas impressionantes na internet, sendo um dos 10 artistas mais ouvidos no ano no Spotify. A que se deve esse sucesso?

Dilsinho - Sou só gratidão! Devo muito disso a Deus, sem ele nada seria possível. Aos meus fãs, que me apoiam e incentivam desde sempre. À minha equipe, minha família. E a todos vocês que escutam e curtem Dilsinho. Muito obrigada!

G1 - Você faz uma média de 20 shows por mês. Sobra tempo pra parar, pensar e criar coisas novas? Como é esse processo?

Dilsinho - Às vezes é difícil, muita correria, mas a gente consegue dar conta. No final do ano passado foi muito complicado para mim essa questão do tempo porque, além dos meus shows, eu estive a frente de toda produção do meu DVD, ao lado do Bruno Cardoso, do Sorriso Maroto, e do Michel Fujiwara.

G1 - Você gravou agora em dezembro seu novo DVD no Recife. Conta um pouco como foi a experiência e sobre esse projeto "Portas da sua casa".

Dilsinho - Meu novo DVD se chama "Open House", gravei no dia 19 de dezembro, em Recife/PE com participações especiais de Thiaguinho, Atitude 67, Henrique e Juliano e Marco, como mencionei anteriormente. Essa foi a primeira vez que me envolvi 100% em um projeto e fiz questão disso. Acho muito importante o artista estar próximo de todas as decisões, mas dessa vez eu estive a frente de tudo. É mais um filho meu que saiu do papel e eu estou muito ansioso para que vocês possam ver o resultado. Ficou incrível.

G1 - Qual é a sua relação com o público gaúcho?

Dilsinho - O público gaúcho tem um calor diferente. Toda vez que me apresento pelo estado tenho a mesma sensação de estar sendo recebido em casa, sabe? E isso é único, inexplicável, aquece o coração. Pois ficamos mais tempo na estrada do que na nossa própria casa. Me espera que eu tô chegando ein galera? Temos um encontro marcado no Planeta Atlântida 2020.

G1 - O que vem por aí em 2020 na carreira?

Dilsinho - 2020 vai ser ano de lançamento do Open House, espero rodar o país inteiro e também fora dele, para espalhar esse novo DVD que ficou sensacional e, eu tenho certeza que vocês vão se amarrar. Esse novo ano promete ser melhor do que 2019 e eu estou pronto para ele. Vamos com tudo!

Fonte: G1

Cavaliani

Comentários