Suspeito de praticar homicídio de empresário na semana passada se entrega à Polícia

Por Redação Jornal do Porto em 13/03/2020 às 09:05:42

Em entrevista exclusiva ao Jornal do Porto TV, o delegado de polícia titular de Porto Ferreira, Dr. Eduardo Henrique Palmeira Campos, informou ontem (12) que o suspeito de ter praticado o homicídio contra o empresário André Luiz Bernardes dos Santos, de 33 anos, ocorrido no último dia 3, no Recanto Bela Vista, se entregou à Polícia após ter um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça local.

O suspeito preso é um comerciante estabelecido na cidade e não tinha antecedentes criminais. O motivo do crime seria um desacordo comercial com a vítima. Segundo o delegado, o autor se mostrou arrependido do fato em seu depoimento.

Dr. Eduardo disse ao repórter Osni Martins que nas primeiras horas após o crime a Polícia Civil já havia conseguido a identificação do principal suspeito de autoria. De acordo o delegado, o autor fugiu no dia do crime para a cidade de São Paulo e depois entrava-se em local ignorado.

Diante da gravidade do delito, o delegado pediu a prisão temporária do suspeito, sendo concedida pelo juiz de Direito da 1ª Vara da Comarca de Porto Ferreira.

A Polícia passou então a fazer uma procura constante pelo suspeito. E este, não aguentando mais a pressão da busca, e até por ser uma pessoa não habituada à condição de criminoso, decidiu se entregar, segundo contou o Dr. Eduardo.

O comerciante constituiu um advogado e foi até a Delegacia se apresentar nesta quinta-feira. Foi então cumprido o mandado de prisão. O comerciante foi interrogado e recolhido ao Centro de Triagem de São Carlos.

A prisão temporária é de 30 dias, por ser crime hediondo, e pode ser prorrogada por igual período ou já ser decretada a prisão preventiva (sem prazo), uma vez terminados os atos de investigação policial que confirmem a autoria.

O crime – O empresário André Luiz Bernardes dos Santos foi atingido por três disparos de arma de fogo na cabeça, na manhã do último dia 3, em frente sua casa, no Recreio Bela Vista, e morreu logo em seguida.

Policiais civis e militares foram acionados logo após o crime, mas pouco puderam fazer. Testemunhas disseram que um veículo se aproximou do local dos fatos e uma pessoa chamou pela vítima. O empresário não atendeu e o veículo se afastou.

No momento em que André saiu da residência, o veículo retornou e alguém lá dentro efetuou os três disparos e em seguida fugiu do local.

A empresa de André produz móveis em ferro e ele também tinha uma loja na região do Circuito da Cerâmica Artística e Decoração. Era pai de dois filhos e sua mulher estava grávida.


Fonte: Redação Jornal do Porto

Cavaliani

Comentários