Perseverance é o nome do rover da NASA que buscará bioassinaturas em Marte

Perseverance é o nome do rover da NASA que buscará bioassinaturas em Marte

No ano passado, a NASA pediu que estudantes estadunidenses dos ensinos fundamental e médio enviassem sugestões de nome para o rover que buscar√° sinais de vida no terreno marciano, como parte da missão Mars 2020, a ser lançada neste ano. Agora, saiu o resultado do concurso Name the Rover — e o próximo rover da NASA a ser lançado para Marte se chama Perseverance ("perseverança", em português).

A escolha foi anunciada pela agência espacial nesta quinta-feira (5). Quem sugeriu o nome vencedor foi um aluno da sétima série em uma escola no estado de Virgínia, chamado Alexander Mather. Sua sugestão foi a escolhida entre 28 mil inscrições feitas por estudantes de todo o território dos EUA, deixando para tr√°s nomes como Endurance, Tenacity, Promise, Vision, Clarity, Ingenuity, Fortitude e Courage — todos também sugeridos por alunos de escolas públicas e privadas.

Vale lembrar que envolver estudantes na tomada de decisões quanto a nomes de missões e sondas espaciais é algo que a NASA faz com certa frequência. Em 1997, jovens alunos escolheram o nome Sojourner para o veículo exploratório da missão Pathfinder — o primeiro a transitar em Marte, por sinal. Depois, a agência também pediu a colaboração de estudantes para escolher o nome de seus outros rovers marcianos, incluindo o Spirit, o Opportunity e o Curiosity. Com isso, a agência tenta fazer com que crianças e adolescentes nutram interesse por √°reas STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matem√°tica), bem como fiquem empolgadas com a exploração espacial, em geral.

-
Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.
-

O garoto cuja sugestão de nome foi a escolhida para o rover Perseverance receber√° um convite para viajar com sua família à Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida, para assistir ao lançamento da missão Mars 2020 com o rover a bordo. O lançamento acontecer√° em um dia ainda a ser definido entre 17 de julho e 5 de agosto deste ano, com a nave pousando na cratera Jezero em fevereiro de 2021.

Sobre o rover Perseverance e sua busca por bioassinaturas marcianas

O veículo exploratório é uma espécie de cientista robótico, ainda mais evoluído do que o Curiosity — este que explora Marte desde 2012. Sua missão principal ser√° a busca de bioassinaturas, que, se encontradas, indicarão que existiu vida microbiana por l√° no passado.

(Imagem: NASA)

Por isso, pousar√° na cratera Jezero, que, h√° bilhões de anos, abrigava um lago e um delta de rio. Se algum dia existiu mesmo vida em Marte, certamente isso aconteceu onde havia √°gua líquida e, então, regiões como a cratera Jezero ainda podem abrigar evidências disso. Vale ressaltar que, aqui na Terra, deltas de rios são excelentes em preservar bioassinaturas, então pode-se considerar o mesmo para outro planeta rochoso.

Nessa busca, o Perseverance usar√° um conjunto poderoso de sete instrumentos científicos e, com eles, também conseguir√° realizar outros estudos. Um deles é a caracterização do clima e da geologia do planeta, recolhendo amostras de rocha e poeira para que uma próxima missão faça a coleta, trazendo as amostras à Terra — o que provavelmente acontecer√° em 2031.

Outro estudo do rover da missão Mars 2020 ser√° procurar depósitos de gelo subterrâneo graças a um radar de penetração, enquanto outro instrumento analisar√° a presença de oxigênio na fina atmosfera marciana, dominada por dióxido de carbono. O novo rover possui, ainda, 23 câmeras e dois microfones, e possivelmente nos permitir√° ouvir os sons da superfície de Marte pela primeira vez na história.

Por fim, a missão Mars 2020 também far√° uma demonstração tecnológica importante, além de tudo o que o rover Perseverance nos proporcionar√°. O módulo de pouso levar√° uma aeronave chamada Mars Helicopter, que é um rotocraft autônomo, para testar a viabilidade e potencial de um helicóptero do tipo voar em Marte. Ele far√° 30 dias de teste com voos não muito altos, subindo algo em torno de 100 metros por no m√°ximo 90 segundos. Com isso, a NASA pretende testar as novas tecnologias aplicadas ao helicóptero prevendo futuras missões exploratórias capazes de sobrevoar um planeta não muito amig√°vel a um pouso na superfície.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech: