Dorival Braga, ex-prefeito, ex-vereador e ex-deputado estadual, morre aos 89 anos

Um dos maiores nomes da política ferreirense foi internado no dia 8 com pneumonia

Dorival Braga, ex-prefeito, ex-vereador e ex-deputado estadual, morre aos 89 anos

Porto Ferreira perdeu neste sábado (18) um dos seus maiores nomes da política. Dorival Braga, ex-prefeito por duas gestões, ex-vereador e deputado estadual por 10 anos, faleceu após complicações causadas por uma pneumonia que o levou à internação hospitalar no último dia 8.

A Prefeitura de Porto Ferreira publicou uma nota de pesar e o prefeito Rômulo Rippa decretou luto oficial de três dias. As informações sobre o velório e sepultamento ainda não foram divulgadas e serão aqui atualizadas assim que se confirmarem.

Dorival deixa a esposa Cidinha, filhos, netos e uma imensidão de amigos.

Veja a seguir uma pequena biografia:

Dorival Braga nasceu em São Paulo, no dia 10 de fevereiro de 1935. Odontólogo formado pela Unesp de Araraquara, iniciou sua trajetória política em 1968, quando disputou sua primeira eleição para prefeito de Porto Ferreira, pelo MDB, tendo Paulo Montanheiro como vice, ficando em segundo lugar entre cinco candidatos, com 2.083 votos. O vencedor, Joaquim Coelho Filho, obteve 2.487.

Nas eleições seguintes, em 1972, agora pela Arena, foi eleito prefeito pela primeira vez, com 5.727 votos (70%), tendo como vice Caetano Peripato.

Em 1982, Dorival Braga é eleito prefeito para um segundo mandato, pelo PMDB, tendo Valdir Bosso como vice. Eles conquistaram 5.624 votos (39,46%), e desta vez o mandato foi de 6 anos, terminando em 1988, quando Valdir seria eleito sucessor de Dorival.

Nas eleições estaduais de 1990 Dorival Braga foi candidato a deputado estadual pelo PSDB, partido que ingressou desde sua fundação e que foi uma dissidência do PMDB, tendo ficado com a suplência.

Em 1992, disputou novamente a Prefeitura, com Fran Miller de vice, e numa eleição polarizada perdeu por pequena margem para Carlos Alberto Teixeira (PFL). Apesar da derrota, logo em seguida assumiu a cadeira na Assembleia Legislativa como deputado estadual.

Nas eleições de 1994, foi reeleito deputado estadual com 31.721 votos. O mesmo aconteceu em 1998, quando foi reeleito com 41.650 votos no Estado. Nas eleições de 2002, já no PTB, obteve 50.757 votos no total e, apesar de ter sido sua melhor votação, não foi suficiente para a reeleição.

Porém, a convite do então governador Geraldo Alckmin, assumiu como secretário adjunto das Relações do Emprego e Trabalho do Governo do Estado, ficando no cargo por cerca de 2 anos.

Nas eleições de 2008, foi candidato pela quarta vez a prefeito de Porto Ferreira, pelo PSDB, tendo como vice o sobrinho Gustavo Braga Coluci, e obteve 12.478 votos, sendo derrotado por Maurício Sponton Rasi (PT), que obteve 17.287 votos. No ano de 2012, foi eleito vereador da cidade, quando recebeu 1.891 votos, o maior número do pleito.

Em 22 de junho de 2015, teve o mandato de vereador cassado. A condenação teve por base a sua atuação frente à Agência Municipal de Desenvolvimento de Leme (Adel), entre 2005 e 2006, na gestão de Geraldo Macarenko. Para a Justiça, o órgão não exerceu atividades que justificassem sua existência e seus gastos, caracterizando improbidade administrativa.

Importante ressaltar que a partir da década de 1990 Dorival Braga teria três dos quatro filhos também ingressando na política. André Braga, o filho mais velho, foi eleito vereador em 1992 e prefeito em 1996, sendo reeleito em 2000. Renata Braga foi eleita prefeita em 2012, a primeira mulher na história local a ocupar o cargo. E Daniela Braga ficou com a suplência como deputada estadual em 2018, mas assumiu a cadeira por 45 dias no início de 2023.

Acompanhantes Goiania