Gastos da Câmara Municipal de Porto Ferreira em 2022 aumentaram em relação ao ano anterior

O valor total gasto foi de R$ 3.034.723,66, representando um custo de R$ 53,38 por habitante, com base na população estimada pelo IBGE

Gastos da Câmara Municipal de Porto Ferreira em 2022 aumentaram em relação ao ano anterior

Gastos da Câmara Municipal em 2022 tiveram pequena elevação em relação ao ano anterior

Segundo dados que integram levantamento do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP), com base em gastos empregados no custeio e no pagamento de pessoal efetuados pelas Câmaras Legislativas dos municípios fiscalizados pela Corte, a Câmara Municipal de Porto Ferreira gastou mais em 2022 do que no ano anterior.

Em 2022, o gasto superou a casa dos R$ 3 milhões. Para ser mais exato, R$ 3.034.723,66, o que equivale a um custo de R$ 53,38 por habitante, de acordo com a população prevista pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em 2021, o gasto foi de R$ R$ 2,74 milhões, o que equivale a um custo de R$ 48,21 por habitante. Houve, portanto, uma elevação de 10,72% de um ano para o outro, mas é preciso levar em conta que a inflação no período foi de 5,79%. Assim, com números corrigidos, o aumento dos gastos ficou na casa dos 5%.

Os números absolutos de 2022 são parecidos com os registrados em 2020 e 2019. Em 2020, o gasto foi de R$ R$ 3,00 milhões (R$ 53,13 per capita) e, em 2019, de R$ 2,93 milhões (R$ 52,20 per capita), lembrando que não foram atualizados pela inflação. Assim, nota-se que os gastos diminuíram em relação a esses dois exercícios.

O ano de 2022 foi o segundo da legislatura eleita no final de 2020. A presidência foi ocupada pelo vereador Alan João Orlando (PSB), que em 2023 se licenciou do cargo para assumir como secretário de Obras e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura. O biênio anterior (2019/2020) teve presidência do ex-vereador Gustavo Braga Coluci.

As Casas Legislativas paulistas, que abrigam 6.908 vereadores nos 644 municípios do Estado de São Paulo (exceto a Capital), consumiram um montante de R$ 3,2 bilhões no exercício de 2022. Sem considerar a inflação do período, os gastos representam um aumento nominal de R$ 432,4 milhões em relação ao ano anterior, quando os investimentos foram da ordem de R$ 2,85 bilhões.

O custo para a manutenção dos legisladores, em plenários que vão de 9 a 34 cadeiras, considerando a população estimada em 34,2 milhões de habitantes, alcançou uma média per capita de R$ 95,95 no Estado, enquanto em 2021 foi de R$ 83,32. Portanto, Porto Ferreira, com o custo de R$ 53,38 por habitante, gasta bem menos que a média estadual, ou 64% da média.

Numa pesquisa entre 15 municípios da região, Porto Ferreira caiu no ranking em relação ao ano passado, quando era a segunda mais "econômica". Em 2022, o município ficou na terceira posição. Veja os resultados desses municípios (custo por habitante), do menor gasto para o maior:

1 - Santa Cruz das Palmeiras: R$ 39,24.

2 - Pirassununga: R$ 50,28.

3 - Porto Ferreira: R$ 53,38.

4 - Aguaí: R$ 55,70.

5 - Tambaú: R$ 55,74.

6 - Santa Rita do Passa Quatro: R$ 60,53.

7 - Leme: R$ 64,39.

8 - Casa Branca: R$ 69,49.

9 - Santa Rosa de Viterbo: R$ 77,74.

10 - Descalvado: R$ 87,02.

11 - São Carlos: R$ 90,47.

12 - São Simão: R$ 96,45.

13 - Santa Cruz da Conceição: R$ 142,70.

14 - Luís Antônio: R$ 184,43.

15 - Analândia: R$ 256,32.


Acompanhantes Goiania