Chefe de operações do Facebook defende que a empresa não vende dados

Por Redação JP em 28/02/2020 às 22:01:17

Na quinta-feira (27), durante uma entrevista à NBC News, a diretora de operações do Facebook , Sheryl Sandberg, defendeu a empresa diante de alguns assuntos que tomaram conta. Na conversa de 50 minutos, gravada na sede do Facebook em Menlo Park, Sandberg também falou sobre sua relação com Mark Zuckerberg, abordou os danos causados ??à sua imagem pública - e se ela pode corrigi-la - e disse que estava comprometida em permanecer na gigante da mídia social a longo prazo.

Mas vamos por partes. Quanto a Zuckerberg, Sheryl se refere a ele como "um cara extremamente talentoso". De acordo com a chefe de operações, Zuckerberg conta com um senso de produto digno de destaque. Ela ainda acrescenta que as pessoas pensam que ele não entende seu público, uma ideia que encara como errônea.

Sheryl também destaca que, para ela, a empresa é mais importante que sua imagem pessoal. "Nós não gastamos muito tempo nos preocupando com a nossa imagem pública. A questão não é o que as pessoas pensam de mim ou de Mark pessoalmente. A questão é como estamos indo como empresa, como prestamos um ótimo serviço e como evitamos alguns dos danos".

-
Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!
-

Chefe de operações do Facebook defende que a empresa não vende dados

Sandberg também defendeu o Facebook frente às polêmicas de sua vasta coleção de dados pessoais, que ela disse serem necessárias para oferecer aos usuários um melhor conteúdo e experiência em publicidade. "Existe uma preocupação crescente, baseada na falta de entendimento, de que estamos usando as informações das pessoas de maneira ruim. Estamos vendendo. Estamos dando. Estamos violando. Nada disso é verdade. Não fazemos isso de vender dados", aponta.

Com isso em mente, a chefe de operações acrescenta que a empresa faz apenas coleta de informações e mostra anúncios personalizados "para oferecer uma experiência muito melhor". Abraçar publicamente a coleta de dados do usuário do Facebook marca uma mudança para uma empresa que historicamente minimizou a extensão de suas práticas de coleta de dados. Para quem não sabe, a rede social em questão já se envolveu em inúmeros casos polêmicos por conta de invasão de privacidade, como Cambridge Analytica. Durante a entrevista, Sheryl ainda defende a decisão do Facebook de não checar a publicidade política e falou sobre seus esforços para combater a interferência russa nas eleições.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech

Cavaliani

Comentários