Município comemora Dia do Padroeiro na segunda-feira

Veja outras cidades em que é feriado de São Sebastião

Por Jornal do Porto em 19/01/2020 às 19:45:20

Porto Ferreira comemora o Dia do Padroeiro São Sebastião nesta segunda-feira, quando é feriado municipal instituído por lei. Mas o município ferreirense não é o único que adotou o santo como protetor. São dezenas de municípios em todo o país.

Entre as cidades mais conhecidas, está o Rio de Janeiro. Aliás, São Sebastião do Rio de Janeiro. Reza a lenda que, na batalha final que expulsou os franceses que ocupavam o Rio, São Sebastião foi visto de espada na mão entre os portugueses, mamelucos e índios, lutando contra os franceses calvinistas. Além disso, o dia da batalha coincidiu com o dia do santo, celebrado em 20 de janeiro.
Já em território paulista, São Sebastião é padroeiro nas seguintes cidades, além de Porto Ferreira: São Sebastião, Andradina, Cajamar, Braúna, Coroados, Mococa, Itupeva, Nantes, Valinhos, Ibiúna, Suzano, Guaíra, Guapiaçu, Presidente Prudente, Pederneiras, Borborema, Ribeirão Preto, Taquaritinga, Boa Esperança do Sul, Rio Grande da Serra, Piraju, Pirajuí, Sabino, Itaju, Sebastianópolis do Sul, Pedra Bela, Tuiuti, Talhado, Catiguá, Amparo, Louveira e Bady Bassitt.

O Santuário Diocesano de São Sebastião, em Porto Ferreira, guarda em seu piso, próximo ao altar central, pequeno estojo de prata com uma partícula de osso do mártir São Sebastião. Ele foi trazido da Itália pelo engenheiro Nicolau de Vergueiro Forjaz e sua esposa, Jandira Viana Forjaz.

Histórica – São Sebastião nasceu em Milão, na Itália, de acordo com Santo Ambrósio, por volta do século III, embora haja versões de que tenha nascido em Narbonne, na França. Pertencente a uma família cristã, foi batizado em criança. Mais tarde, tomou a decisão de engajar-se nas fileiras romanas e chegou a ser considerado um dos oficiais prediletos do Imperador Diocleciano. Contudo, nunca deixou de ser um cristão convicto e ativo. Fazia de tudo para ajudar os irmãos na fé, procurando revelar o Deus verdadeiro aos soldados e aos prisioneiros. Secretamente, Sebastião conseguiu converter muitos pagãos ao cristianismo. Até mesmo o governador de Roma, Cromácio, e seu filho, Tibúrcio, foram convertidos por ele.

Em certa ocasião, Sebastião foi denunciado, pois estava contrariando o seu dever de oficial da lei. Teve, então, que comparecer ante o imperador para dar satisfações sobre o seu procedimento.
Diante do Imperador, Sebastião não negou a sua fé e foi condenado à morte, sem direito à apelação. Amarrado a um tronco, foi varado por flechas, na presença da guarda pretoriana. No entanto, uma viúva chamada Irene retirou as flechas do peito de Sebastião e o tratou.

Assim que se recuperou, demonstrando muita coragem, se apresentou novamente diante do Imperador, censurando-o pelas injustiças cometidas contra os cristãos, acusando-o de inimigo do Estado. Perplexo com tamanha ousadia, Diocleciano ordenou que os guardas o açoitassem até a morte. O fato ocorreu no dia 20 de janeiro de 288.
São Sebastião é o protetor da humanidade contra a fome, a peste e a guerra.

Cavaliani

Comentários