29 países restringiram conexão com a internet durante 2020, aponta relatório

29 países restringiram conexão com a internet durante 2020, aponta relatório

Altieres Rohr/G1

Vinte e nove países bloquearam ou diminuíram a velocidade da internet de forma intencional durante o ano de 2020, de acordo com um relatório do grupo defensor dos direitos digitais Access Now.

No total, foram 155 restrições – um número 27% menor do que em 2019, quando houve 213 interrupções.

O país campeão em restrições foi a Índia, que interrompeu a conexão 109 vezes durante o ano passado – 90% vezes no território da Caxemira.

De janeiro de 2020 a fevereiro de 2021, a internet na Caxemira ficou limitada à conexão 2G, que tem velocidade muito mais baixa do que a banda larga 4G.

A maioria da população da Caxemira é muçulmana, a única região indiana em que os islâmicos são maioria, em vez dos hindus. Muitas pessoas que vivem ali não querem que o território seja governado pela Índia, preferindo a independência ou a adesão ao Paquistão.

Interrupções de conexão também aconteceram na América Latina: Venezuela, Equador e Cuba restringiram o acesso à internet durante o ano passado.

Na Europa, o bloqueio em Belarus durante o período de eleições e protestos foi destacado pelo relatório. Na ocasião, o governo restringiu o acesso às redes sociais, incluindo WhatsApp e Telegram, em uma tentativa de dificultar a articulação de manifestações.

Os governos justificaram o bloqueio à internet citando notícias falsas, medidas de precaução, segurança pública e segurança nacional, entre outras razões.

Sete países, incluindo Índia, Guiné, Belarus, Burundi, Quirguistão, Tanzânia e Togo, restringiram a conexão durante o período eleitoral em 2020.

Veja a lista de países que bloquearam a internet:

Índia - 109 vezes

Iêmen - 6 vezes

Etiópia - 4 vezes

Jordânia - 3 vezes

Togo - 2 vezes

Sudão - 2 vezes

Quênia - 2 vezes

Guiné - 2 vezes

Chade - 2 vezes

Belarus - 2 vezes

Venezuela - 2 vezes

Paquistão - 2 vezes

Azerbaijão - 1 vez

Equador - 1 vez

Cuba - 1 vez

Vietnã - 1 vez

Mianmar - 1 vez

Quirguistão - 1 vez

Bangladesh - 1 vez

Turquia - 1 vez

Síria - 1 vez

Iraque - 1 vez

Irã - 1 vez

Egito - 1 vez

Argélia - 1 vez

Uganda - 1 vez

Tanzânia - 1 vez

Mali - 1 vez

Burundi - 1 vez

O relatório da Access Now é realizado por meio de uma coalizão que reúne 243 organizações de 105 países que monitoram e defendem a conexão da internet ao redor do mundo.