Google investiga pesquisadora de ética em inteligência artificial

Google investiga pesquisadora de ética em inteligência artificial
Empresa encerrou acesso de funcion√°ria ao e-mail corporativo e disse estar investigando suposto download de arquivos compartilhados com pessoas de fora da companhia. Sindicato afirma estar 'preocupado'. Google investiga

REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

O Google investiga uma pesquisadora sobre ética em inteligência artificial (IA) semanas após encerrar o contrato de outra integrante da equipe, anunciou o sindicato recém formado na empresa.

Em um comunicado enviado ao site "Axios", o Google afirmou que a conta de e-mail da pesquisadora Margaret Mitchell na empresa foi encerrada enquanto uma investiga√ß√£o interna é realizada.

A companhia disse que ela supostamente baixou um grande número de arquivos e compartilhou com terceiros.

O Sindicato dos Trabalhadores da Alphabet, criado por funcion√°rios da empresa matriz do Google, afirmou nesta semana em um comunicado que estava "preocupado com a suspens√£o do acesso corporativo de Margaret Mitchell", membro do sindicato e uma das principais pesquisadoras de IA.

"Essa suspens√£o acontece pouco depois da demiss√£o realizada pelo Google da antiga líder Timnit Gebru; ambas representam um ataque às pessoas que est√£o tentando tornar a tecnologia do Google mais ética", afirmou o sindicato.

Funcion√°rios da Alphabet, dona do Google, formam sindicato nos EUA

Demiss√£o de Timnit Gebru

Google enfrentou fortes críticas em dezembro passado após a demiss√£o de Gebru, que denunciou que foi ordenada a se retratar de um trabalho de pesquisa.

Gebru enviou um e-mail interno acusando a companhia de "silenciar vozes marginalizadas", após superiores terem solicitado que ela n√£o publicasse um artigo científico ou retirasse seu nome e de colegas. Ela foi desligada da companhia pouco depois.

No mês passado, mais de 1.400 funcion√°rios da Google faziam parte dos quase 3.300 signat√°rios de uma carta online que exigia da empresa uma explica√ß√£o sobre a demiss√£o de Gebru junto com o motivo para ordenar que sua pesquisa fosse retirada.

Saiba mais: Após demitir cientista negra, profissionais do Google assinam peti√ß√£o contra empresa

A carta também pedia à Google que cumprisse com um compromisso "inequívoco" com a integridade da pesquisa e da liberdade acadêmica.

Veja vídeos sobre tecnologia no G1

G