YouTube suspende canal de Donald Trump por mais uma semana

YouTube suspende canal de Donald Trump por mais uma semana
Plataforma estendeu por mais 7 dias a atividade do presidente americano. Desde 12 de janeiro, ele não pode enviar novos vídeos e fazer transmissões ao vivo por ter violado políticas de incitação à violência. O presidente dos EUA, Donald Trump

Erin Scott/Reuters/Arquivo

O YouTube disse nesta terça-feira (19) que estendeu a suspensão do canal de Donald Trump por mais sete dias, de acordo com informações da Reuters.

Em 12 de janeiro, a plataforma da Alphabet, dona do Google, tirou a p√°gina do ar por violar as políticas de incitação à violência após o ataque ao Capitólio dos Estados Unidos por partid√°rios do presidente.

O canal de Trump fica impedido de enviar novos vídeos ou fazer transmissões ao vivo por no mínimo mais uma semana. A empresa também desativou indefinidamente os coment√°rios nos vídeos do canal.

Nesta terça, o YouTube disse que estava estendendo a suspensão por "preocupações sobre o potencial contínuo de violência".

A posse de Joe Biden como novo presidente dos Estados Unidos est√° marcada para esta quarta-feira (20). O democrata, inclusive, j√° est√° em Washington.

Na véspera de deixar o cargo, Trump fez um discurso transmitido pelo YouTube da Casa Branca. "Agora que eu me preparo para entregar o cargo a um novo governo, eu quero que saibam que o movimento que criamos est√° apenas começando", afirmou.

Trump banido das redes

As plataformas online e as empresas de mídia social têm tomado medidas contra aqueles que encorajaram ou se envolveram na violência em Washington no último dia 6 de janeiro.

O Twitter, por exemplo, j√° baniu a conta do presidente americano permanentemente. J√° o Facebook e Instagram suspenderam as contas de Trump até a posse de Joe Biden, marcada para o dia 20 de janeiro.

A suspensão ocorreu após coment√°rios que ele fez em uma entrevista coletiva, que foi transmitida na plataforma na semana passada.

A ação do Youtube contra o presidente ocorreu depois que grupos de direitos civis dos EUA disseram à Reuters que estavam prontos para organizar um boicote publicit√°rio contra a empresa se ela não suspendesse o canal de Trump.

VÍDEOS: manifestantes pró-Trump invadem Congresso dos EUA
Acompanhantes Goianiauniversitariasclub