Facebook remove mais de 140 mil conteúdos no Brasil por violarem políticas contra interferência eleitoral

Facebook remove mais de 140 mil conteúdos no Brasil por violarem políticas contra interferência eleitoral
Balan√ßo de a√ß√Ķes durante o 1¬ļ turno também envolve o Instagram. Facebook revelou números de remo√ß√Ķes de conteúdo no Brasil por violar suas políticas de interferência eleitoral.

Dado Ruvic/Reuters

O Facebook divulgou nesta segunda-feira (23) que removeu mais de 140 mil conteúdos que violavam políticas contra interferência eleitoral nesta rede social e no Instagram durante a campanha do 1¬ļ turno das elei√ß√Ķes municipais.

De acordo com a empresa, eles continham "informa√ß√Ķes que poderiam desencorajar eleitores de irem votar, como por exemplo o hor√°rio errado de abertura das urnas".

Também nesse período foram rejeitadas 250 mil submiss√Ķes de anúncios (conteúdos impulsionados) sobre política ou elei√ß√Ķes que n√£o continham o rótulo "Propaganda Eleitoral" ou "Pago por", direcionadas a pessoas no Brasil.

Segundo o Facebook, desde agosto, qualquer pessoa ou organiza√ß√£o que quiser fazer publicidade sobre política ou elei√ß√Ķes no país precisa passar por um processo de autoriza√ß√£o, confirmando sua identidade e residência no Brasil.

Saiba mais: Facebook disponibiliza ferramentas de transparência para anúncios políticos no Brasil

A companhia disse ainda que cerca de 3 milh√Ķes de pessoas acessaram um aviso fixado no topo do Feed de Notícias que convidava os eleitores a se prepararem e conferir os protocolos sanit√°rios para o dia da vota√ß√£o no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Além do Instagram, o Facebook é dono do WhatsApp.

Veja os vídeos mais assistidos do G1