Zona azul volta à pauta da Câmara Municipal de Porto Ferreira

Requerimento apresentado pelo presidente Gustavo Braga Coluci trouxe discussão sobre a ampliação da zona azul

Por Redação Jornal do Porto em 12/02/2020 às 12:13:42

Na sessão de segunda-feira (10/02), o tema zona azul voltou à pauta da Câmara Municipal. Neste dia, o assunto foi trazido pelo presidente da Câmara, vereador Gustavo Braga Coluci (PTB), por meio do Requerimento nº 30/2020.

A matéria solicita informações para o Executivo Municipal sobre a ampliação da área azul no centro de Porto Ferreira e foi feita após o presidente receber reclamações de munícipes que observaram o aumento da área da zona azul.

O vereador Sérgio de Oliveira (DEM) foi o primeiro a falar sobre o assunto e disse que gostaria de subscrever o requerimento. "Eu também recebi várias reclamações de munícipes indagando sobre o motivo da expansão dessa área porque no local onde foi feita a expansão, apesar de estar previsto no contrato que poderia ter, não existe nenhum tipo de comércio, é mais uma área residencial", afirmou.

Para ele, a administração municipal não tem como objetivo trazer rotatividade de veículos estacionados ao centro. "A zona azul é muito importante, só que do jeito que está sendo feita, sem esse tempo de isenção dos 10 minutos e agora com essa expansão da área, vemos que realmente o objetivo da coisa é para ser cobrado, é para ser arrecadado."

Outro ponto relatado por Sérgio de Oliveira foi que alguns munícipes o têm procurado para contar que não estão recebendo a notificação, apenas a multa da zona azul. "Esse munícipe pediu algumas informações para a Mobilidade Urbana e ele me mandou uns dados aqui que eu fiquei um pouco assustado. Só no mês de dezembro foram expedidas 2.269 notificações de penalidade por infração de trânsito, tudo da área da zona azul."

"Se fizermos uma conta bem rápida, esse número vezes R$200, que é o valor da multa, nós vamos chegar numa conclusão que dá quase meio milhão de reais, quase 500 mil reais que o contribuinte, que o munícipe está tendo que tirar do bolso para pagar para a Prefeitura Municipal", completou o vereador.

Segundo Sérgio de Oliveira, esse dinheiro acaba por afetar a economia do município. "Nós estamos vendo vários comércios, várias empresas de Porto Ferreira fechando as portas justamente por isso, porque o munícipe não tem dinheiro para gastar, o munícipe está tendo que pagar tanta taxa, tanto imposto que as lojas do comércio estão fechando as portas", pontuou.

O vereador Gideon dos Santos (PSD) também disse querer subscrever o requerimento, já que acredita ser inviável a ampliação da área da zona azul. "Nós solicitamos aqui nessa casa de leis um treinamento melhor para os funcionários e isso aí a empresa não fez. Eu entendo que é um prejuízo para os munícipes de Porto Ferreira."

A pós tarifa que foi aprovada recentemente pela Câmara Municipal ainda é desconhecida por muitos munícipes. "Deveria ser um pouco mais divulgado essa questão da pós tarifa, sendo que foi aprovada, já está em validade que a pessoa pode pagar em até três dias. Precisamos divulgar as facilidades para o nosso munícipe", detalhou o parlamentar.

A ampliação, segundo Gideon dos Santos, irá prejudicar os funcionários do centro de Porto Ferreira. "Aquele que é funcionário de loja, aquele que trabalha na área central não tem um lugar para deixar o seu carro, sendo prejudicado."

O parlamentar também destacou que a zona azul deve beneficiar o povo de Porto Ferreira. "Não é que a empresa vem de fora e faz o que quer no município não, aqui tem quem vai legislar, aqui tem quem vai cobrar que são os vereadores da casa de lei e estaremos aí para cobrar uma posição correta da empresa diante dos munícipes", concluiu.

Outro vereador que acredita não ter necessidade da ampliação é Cabo Eduardo (PP). "Se você rodar a área central, encontrará várias vagas. Se não tivesse vaga tudo bem, mas há. Nós estamos o tempo todo brigando para ter isenção de 15 minutos, desde o começo desse projeto e vem com mais essa, fica difícil", acrescentou.

Já o vereador Élcio Arruda (MDB) disse também ter sido procurado por munícipes. "Principalmente pessoas que residem nessas regiões de ampliação e recebi uma mensagem que não será só nesse local que será ampliado, acredito que na João Procópio Sobrinho seria ampliada, entre outros locais", informou.

Para ele, a Câmara Municipal deveria tomar uma providência. "Deveria marcar uma reunião com o próprio perfeito, com os diretores da empresa para que essa área não se expanda ainda mais. Assim como o Cabo Eduardo disse, a gente anda pela cidade e vê que não há necessidade de estar se ampliando, ainda tem muitas vagas sobrando."

O vereador Ismael da Silva (DEM) levantou o questionamento se a empresa fez algum estudo para determinar essa ampliação. "Porque ao meu ver a zona azul está atendendo ao seu objetivo e as ruas que já possuem a zona azul têm só 50% das vagas preenchidas e olhe lá. Essa empresa já vem há um bom tempo trazendo um descontentamento tanto para os munícipes quanto para os comerciantes."

Ele também recebeu reclamações de munícipes que foram multados antes de serem notificados. "É inadmissível uma coisa dessa, nós temos que investigar, nós temos que ver ficar em cima da empresa e eu quero subscrever o requerimento. Parabéns", finalizou.

Gustavo Braga Coluci concluiu as falas agradecendo os vereadores que o antecederam pelas palavras. "Fiz esse requerimento devido a reclamações e podia ter incluído algumas coisas ainda nessas reclamações. Por exemplo, os parquímetros muitas vezes não estão funcionando, aí você para o carro e fica procurando o rapazinho lá de azul", resumiu.

Segundo o presidente da casa de leis, para achar um funcionário para colocar a zona azul é difícil, mas basta se ausentar do carro para trocar o dinheiro, já que o parquímetro só aceita moedas, que, ao voltar, tem a notificação.

"Nós precisamos desses 10 minutos de tolerância urgente, o próprio nome diz não é arrecadação é rotatividade, o objetivo da zona azul é ter estacionamento, é ter rotatividade, é ter acesso. Precisava, mas nós também não podemos deixar como uma indústria de arrecadação e sim como algo para melhorar para o nosso povo", ressaltou Gustavo Braga Coluci.

O requerimento foi aprovado por todos os vereadores e será encaminhado para a resposta do Executivo Municipal.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Porto Ferreira

Cavaliani

Comentários