YouTube lança portal para explicar como sua plataforma funciona

YouTube lança portal para explicar como sua plataforma funciona
Servi√ßo de vídeos diz ter criado site "para que todos na comunidade saibam o que podem ou n√£o fazer". P√°gina detalha as políticas e explica de forma b√°sica como atuam os sistemas de recomenda√ß√£o e outras ferramentas. 'Como o YouTube funciona' é a nova plataforma de transparência do servi√ßo de vídeos.

Dado Ruvic/Reuters

ag

O YouTube lan√ßou nesta quarta-feira (23) um portal de transparência chamado "Como o YouTube funciona".

O site reúne respostas sobre perguntas frequentes envolvendo temas como seguran√ßa infantil, conteúdo nocivo, informa√ß√Ķes incorretas, direitos autorais ou funcionamento dos sistemas de recomenda√ß√Ķes de vídeos.

H√° se√ß√Ķes dedicadas às a√ß√Ķes do YouTube relacionadas com elei√ß√Ķes, explicando quais s√£o as suas diretrizes e quais tipos de conteúdo podem ser removidos, por exemplo.

Informa√ß√Ķes sobre remo√ß√Ķes de vídeos a cada trimestre, além de dados, registros e tendências atuais também aparecem na p√°gina.

O YouTube diz que criou esse espaço "para que todos na comunidade saibam o que podem ou não fazer" na plataforma.

"YouTube é uma plataforma aberta e nossa miss√£o é dar uma voz para todo mundo", disse Jennifer O'Connor, diretora de gerência de produtos no YouTube, no evento que marcou o lan√ßamento do portal de transparência.

"Abertura n√£o significa que qualquer tipo de conteúdo pode estar na plataforma, e sabemos que com abertura podem aparecer coisas que n√£o queremos", completou.

O YouTube tem sido criticado nos últimos anos por supostamente dar espa√ßo a vídeos com discurso de ódio, teorias da conspira√ß√£o e por manter os usu√°rios em "bolhas", refor√ßando as recomenda√ß√Ķes de vídeos similares.

No novo site, h√° respostas dedicadas a quest√Ķes sobre privacidade e explica√ß√Ķes b√°sicas sobre como funcionam os algoritmos de recomenda√ß√£o e de busca.

Em 2018, o YouTube passou a exibir textos da Wikipedia ao lado de vídeos com teorias da conspira√ß√£o. No ano passado, o sistema de recomenda√ß√£o de vídeos também foi atualizado para dar mais controle aos usu√°rios.

O vice-presidente de gerenciamento de produtos do Youtube, Woojin Kim, disse que a plataforma tem aplicado medidas para reduzir o alcance de vídeos com desinforma√ß√£o ou teorias conspiratórias, mas admitiu que muitos desses conteúdos s√£o mantidos.

"Quando usu√°rios est√£o interagindo com conteúdo que tem desinforma√ß√£o ou conspira√ß√£o, o que fazemos é assegurar que o os vídeos recomendados, contenha mais conteúdos com autoridade, de fontes confi√°veis", disse Kim.

"Quando se trata de teorias da conspira√ß√£o existem alguns tipos de conteúdo que removemos, caso eles possam causar danos às pessoas. Mas é verdade que existem conteúdos de conspira√ß√£o que s√£o mantidos, mas tentamos oferecer mais contexto aos usu√°rios e reduzir a recomenda√ß√£o desse tipo de conteúdo e n√£o perpetuar o consumo", completou.

Na última ter√ßa-feira (22) o YouTube anunciou que utilizar√° sistemas automatizados para identificar vídeos que deveriam ter restri√ß√£o de idade.

A plataforma deixar√° uma inteligência artificial encarregada de fazer a detec√ß√£o pró-ativa de vídeos que possam ter conteúdos inapropriados para menores.

Desde o início da pandemia, o YouTube tem refor√ßado o uso de sistemas automatizados para a modera√ß√£o do conteúdo. A medida est√° relacionada com a redu√ß√£o da disponibilidade dos moderadores humanos.

De acordo com a plataforma, os algoritmos costumam remover mais vídeos do que humanos, mas criadores podem apelar da decis√£o. Esses mecanismos est√£o detalhados no novo portal de transparência.

Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1

n