Funcionários da concessionária BRK Ambiental em Porto Ferreira poderão entrar em greve a partir da 0h de segunda-feira, dia 13/11. A informação foi confirmada pela reportagem do Jornal do Porto junto ao Sintaema (Sindicato dos Trabalhadores em Água e Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo). Segundo o diretor de Assuntos Jurídicos da entidade, Roberto Alves Silveira, o Gaúcho, a concessionária não teria cumprido um acordo negociado de reposição salarial. “Nossa data-base é 1º de setembro. Nós fizemos gestões e duas rodadas de negociações [com a empresa]. Porém, de maneira surpreendente, a BRK verbalizou o acordo, mas não oficializou”, afirma.

De acordo com o diretor, esta é a primeira vez que isto ocorre com a concessionária local. “Já fizemos umas seis ou sete negociações antes, com a Odebrecht, e nunca houve problema. Agora estamos com um atraso de dois meses”, continuou.
Por se tratar de um setor essencial, uma eventual greve dos trabalhadores da BRK não vai paralisar o abastecimento de água na cidade, de acordo com o Sintaema. “Vamos manter o mínimo de 30% dos funcionários para operar o sistema. Não haverá atendimento comercial, mas o plantão mínimo e equipe de emergências estarão trabalhando. A população não vai ser penalizada”, explicou o diretor. Ele ainda disse que o sindicato estará em assembleia permanente e aberto a novas negociações. “Não somos intransigentes”, concluiu.
Outro lado – Procurada para comentar o assunto, a assessoria da BRK encaminhou a seguinte nota:
“A BRK Ambiental apresentou uma proposta de reajuste salarial com valor que supera a inflação registrada no ano. Ela não foi aceita pelo sindicato. A empresa está, como sempre esteve, em constante diálogo com seus funcionários e espera, em breve, chegar a um acordo. Até porque uma eventual paralisação dos trabalhadores pode atrapalhar os serviços de rua e trazer prejuízos à população. O saneamento básico é essencial e está diretamente relacionado à saúde e à qualidade de vida das pessoas. Não há qualquer previsão de interrupção no abastecimento de água mesmo num cenário de greve. A companhia continua aberta à negociação e se compromete a buscar alternativas que assegurem a continuidade dos serviços”.

0
0
0
s2sdefault