A 135ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Porto Ferreira, por meio de sua presidente Dra. Luciane Eleutério, fez uma representação no último dia 11 de outubro ao Ministério Público local para que este abra um inquérito civil e ingresse com uma ação civil pública contra o Banco do Brasil, cuja agência ferreirense está interditada desde a tentativa de furto no local que culminou com um incêndio nas dependências dos caixas eletrônicos, no dia 17 de setembro.

O transtorno causado aos usuários, principalmente aos correntistas do BB, foi alvo de reportagens recentes do Jornal do Porto. Na semana de pagamento em outubro, por exemplo, relatos deram conta de filas de espera de até 4 horas nos locais alternativos usados pelos clientes do banco, como o Banco Postal (Correios), as lotéricas e o caixa 24 horas do Supermercado Extra.
Além do tempo de espera, outro componente muito mais perigoso entrou em cena. Na manhã da última terça-feira (31) quatro homens armados assaltaram a agência dos Correios do Centro. O aumento do movimento no local pode ter sido um chamariz para a ação dos bandidos.
Na sua representação, a OAB invoca o Código de Defesa do Consumidor como a legislação que oferece base para a sua denúncia. Destaca todas as dificuldades que os correntistas estão passando e a privação de realizarem diversos serviços, como transações bancárias, saques, depósitos, pagamento de contas, transferências, obter empréstimos etc.
A entidade, ao final do documento, pede a instauração do inquérito e posterior ingresso com a ação “para que o Banco do Brasil retorne suas atividades imediatamente sob pena de pagamento de multa diária com valor coerente com o lucro obtido pelo Banco no último trimestre”.
A OAB lembra que até 2016 a cidade possuía duas agências do BB. Uma delas, que foi fechada, era aquela ao lado da sede social do Porto Ferreira Futebol Clube, onde funcionava a Nossa Caixa Nosso Banco, instituição adquirida pelo banco federal. “[...] buscando somente o interesse econômico e o aumento incessante dos lucros, o Banco do Brasil decidiu fechar uma das agências”, diz a representação.
Outro lado
No início de outubro, em contato com a Assessoria de Imprensa do BB, a mesma informou ao JP que a agência local não tinha previsão para ser reaberta ao público e que isto dependeria do andamento das obras de reforma do local, “um processo oneroso e sujeito à legislação específica voltada às empresas estatais”.
De acordo com o BB, o atendimento é eventualmente suspenso em caso de sinistros nesses pontos de atendimento, até a sua reforma. “Para qualquer reforma, caso seja aprovada, o BB precisa cumprir requisitos legais para licitação da contratação de projetos arquitetônicos, de engenharia (estrutura, eletricidade etc.), para realização de obras e aquisição de bens e equipamentos. Além disso, há de se considerar o prazo necessário para a realização da respectiva obra de recomposição”, explicou o banco.
Os clientes do BB em Porto Ferreira podem utilizar as agências do Banco Postal (Correios) e casas lotéricas para saques, depósitos, consulta a saldos e extratos, empréstimos, recebimento do INSS e pagamento de contas; e a rede Banco 24 Horas para transações de saques, consulta a saldos e extratos, pagamentos de títulos e contas de consumo com débito em conta.
Além dos canais de atendimento físico, os clientes podem realizar transações diversas pela internet, pelo aplicativo mobile e pela central de atendimento, através do telefone 4004-0001 em capitais ou 0800 729 0001 em demais cidades do país.

0
0
0
s2sdefault