A Justiça penhorou bens dos acusados no escândalo sexual de 2003 com o objetivo de pagar as indenizações às vítimas, que somam um valor aproximado de R$ 2,4 milhões, montante seis vezes maior do que o verificado no início do processo, devido à correção referente ao longo período em que a matéria tramitou.
Leia a máteria na íntegra no Jornal do Porto

0
0
0
s2sdefault