Como é bom ter amigos, como é bonita a amizade. Amigo é sempre é agora. Amigo não tem jeito faz morada dentro do peito pela vida afora. Por um amigo se põe a mão no fogo sem receio de nenhuma dor. Pois amigos são parceiros de um jogo onde não há perdedor. Amigo é feito agulha no palheiro, é meio a meio e os dois inteiros.

Amigo é sincero e da de 10 a zero na força do poder e do dinheiro. Amigo é aquele que nos representa em qualquer lugar. A gente estando ou não estando lá. Alias, é como se a gente estivesse lá na figura do amigo.
E é por isso que se diz é difícil ter amigo. Pois sem amigo não é fácil não. E, é por isso que se diz que lealdade não tem preço. E que a amizade é o avesso da solidão. Num mundo tão doente e de amores tão distantes. Amigo é uma espécie de transplante do coração. Amigo é feito a um pai que se adota feito um filho. É o espirito santo, um anjo guardião. Esse poema é dedicado a todos vocês queridos amigo(a)s.
A todos aqueles que de uma forma ou de outra contribuem para o bem das amizades. Mas, se me permitem, gostaria de dedicar esse poema aquele amigo, aquele que gerou todos os amigos, aquele que amava tanto seus amigos, que até os ressuscitava. Aquele que criou o céu, as florestas, os mares, os rios e a terra. E que lamentavelmente, em muitas casas, ainda não consegue entrar e em muitos corações ainda não consegue penetrar. (SILVIO BRITO)
Bom final de semana a todos.

0
0
0
s2sdefault