Percebo que sempre há dúvidas em relação à roupa de trabalho, quando a empresa não tem um uniforme específico.
Daí rolam os exageros, as incoerências, as diversidades e até um certo desleixo na hora de escolher a roupa ideal para o dia de trabalho.
Certa vez fui convidada a palestrar para uma turma de formandos em Enfermagem, pois a Professora de Ética não sabia mais como abordar esse assunto, e os erros em roupas brancas mais que transparentes, sapatos brancos sujos, bijuterias fora de contexto, perfumes fortes eram reclamações constantes.

Ora, como sempre abordo, o bom senso e a harmonia são ideais para criar um padrão de vestimenta sem erros.
E roupas de trabalho não são as mesmas que você usa para ir em festas, ou sair em finais de semana! Principalmente se a empresa a qual você trabalha é conservadora, formal e tem um olhar mais sério.
É preciso associar a personalidade do profissional com a personalidade da empresa. Cada um tem suas características e seus códigos.
Uma pessoa feliz no seu emprego também está de acordo com os códigos de vestimenta praticados pela empresa. Ela não se sente incomodada por ter que se vestir “assim” ou “assado”, porque ela curte aquele universo, faz sentido pra ela, caso contrário, talvez esteja no lugar errado ou até na profissão errada!
Um abraço e até a próxima!

Contudo, observa-se no dia a dia que a reposição desses recipientes ou o descarte irregular é frequente, apesar dos esforços envolvidos em conscientização. A participação da população no processo de eliminação dos criadouros é essencial no combate ao mosquito e na redução desses índices.

Christiane M. Franco - Bacharel em Moda – Estilista e Consultora

0
0
0
s2sdefault