A Diocese de Limeira suspendeu na sexta-feira (31) as ordens do padre Felipe Moraes Negro, pároco da Igreja de Santa Isabel de Portugal, em Limeira (SP). A suspensão aconteceu após o padre ser acusado de desvios financeiros na paróquia, segundo notícias divulgadas em sites como o G1 e o Portal de Americana.

O padre Felipe atuou como pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Assunção, localizada na Vila Sybilla, em Porto Ferreira, sendo transferido para Limeira em fevereiro de 2017.
A denúncia, que será conduzida pelo vigário-geral da diocese, Julio Barbarado, surge 14 dias após o papa Francisco aceitar a renúncia do bispo diocesano dom Vilson Dias de Oliveira, acusado de crimes financeiros e de acobertar crimes sexuais do padre Pedro Leandro Ricardo, da Basílica de Santo Antônio, em Americana (SP).
O decreto de suspensão foi publicado no site oficial da diocese. De acordo com o documento, o padre perde a jurisdição para presidir ou administrar qualquer sacramento, assim como aconteceu com Pedro Leandro em janeiro. Felipe também será responsável por sua defesa no âmbito da justiça civil caso algum processo venha ser movido contra ele.
De acordo com o vigário, a decisão aconteceu após a consulta do conselho de presbíteros. O diácono João Arlindo Ziani deve assumir a administração da paróquia e o padre Ricardo Aguiar Araújo, a parte pastoral.
Júlio Barbado é o homem número dois na hierarquia da Diocese. Ele responde pela cúria na ausência do administrador apostólico dom Orlando Brandes, que foi nomeado pelo papa até que um novo bispo seja escolhido.

0
0
0
s2sdefault