Após a suíte “O Pássaro de Fogo” (“Firebird Suite”), do russo Igor Stravinsky, eu já sabia que algo clássico, impactante, iria entrar. Conhecia todos os discos ao vivo do Yes e, em cada um, a primeira música após a introdução com a música clássica citada era diferente.

A mais marcante, sem dúvida, estava no disco “Yessongs”, o primeiro ao vivo, de 1973: “Siberian Khatru”, do disco “Close To The Edge”, de 72. Já no “Yesshows”, de 81, era “Parallels”.
Bem, eu torcia por “Siberian Khatru” ser a primeira. Era uma música perfeita para a ocasião. Para quem, como eu, estava vendo os ídolos pela primeira vez, quase aos 28 anos de idade. Uma passagem de uma música para outra que eu conhecia desde criança. Que por inúmeras vezes sonhei, imaginei, visualizei como seria presenciar num show. E a banda não me decepcionou! Devo ter soltado um sonoro PQP na hora... ou vários.
Chris Squire, Jon Anderson, Steve Howe e Alan White bem na minha frente. Uma qualidade de som que poucas vezes ouvi na vida. Ao contrário de Rolling Stones e U2, o palco tinha um cenário até simples, sem parafernálias. Ali, o que importava mesmo era o som. Era ouvir (embora a gente tenha pulado um bocado).
Por falar nisso, a maior surpresa para mim naquele show foi meu irmão Vlamir. Ele, que quase não foi e parecia não estar ligando muito antes, quando começou a apresentação estava mais empolgado até do que eu, cantando, pulando.
Para um fã, como eu, foram momentos indescritíveis. Ver todos os ídolos ali, tocando uma barbaridade, com um som incrível. São aqueles momentos que nunca deixam a lembrança. Por exemplo, eu pensei que a história deste show ia render uma coluna, e foram três!
E como a internet tem seu lado maravilhoso, encontrei a lista com as músicas executadas naquela noite. Vou colar abaixo e quem é fã da banda vai poder ver quantos clássicos tocaram:
Introdução: “The Firebird Suite” (Igor Stravinsky)
1 – “Siberian Khatru”
2 – “Rhythm of Love”
3 – “America” (Simon & Garfunkel cover)
4 – “Open Your Eyes”
5 – “And You and I”
6 – “Heart of the Sunrise”
7 – “Mood for a Day” (Steve Howe solo)
8 – “Masquerade” (Steve Howe solo)
9 – “Clap” (Steve Howe solo)
10 – “Wonderous Stories”
11 – Solo do tecladista Igor Khoroshev
12 – “Long Distance Runaround”
13 – “Whitefish” (Chris Squire solo)
14 – Solo do baterista Alan White e trecho de “Ritual”
15 – “Owner of a Lonely Heart”
Bis
16 – “I've Seen All Good People”
17 – “Roundabout”
18 – “Starship Trooper”.
Um ano depois, em 1999, eu assistiria a outra banda clássica setentona.

0
0
0
s2sdefault