• Em 2018 foram registrados cerca de 16 acidentes por hora com escorpião no Brasil
• Umidade e calor criam condição climática responsável pelo aumento nos níveis de reprodução
• Controle do aracnídeo é feito por produtos de uso profissional

Verão é sinônimo de calor, praia, férias e diversão. Em 2019, as temperaturas prometem ser ainda mais altas devido ao fenômeno oceânico-atmosférico El Niño. A empolgação, entretanto, pode tirar o foco de um problema recorrente nesta época do ano: escorpiões, ratos, baratas e mosquitos como o Aedes aegypit, as conhecidas pragas urbanas.
As chuvas e o calor próprios desta estação estão aumentando exponencialmente os problemas com escorpiões. Segundo dados do Ministério da Saúde, os acidentes com este animal têm crescido e apenas em 2018 foram registrados 141,1 mil casos no Brasil, cerca de 16 acidentes por hora. Confundidos com insetos comuns, os escorpiões são, na verdade, aracnídeos e possuem um veneno que ao entrar no organismo humano, causam fortes dores, inflamações e podem até levar à morte.
Os fatores que atraem o escorpião são a umidade, aglomeração de entulhos, restos de construção e acúmulo de lixo, ambientes propícios para se abrigarem. Por outro lado, as baratas são a presa natural do aracnídeo, portanto, o atrai. "Evitar este tipo de ambiente, manter os locais limpos e vedar frestas são os primeiros passos para evitar acidentes com escorpiões", alerta a bióloga Dra. Maria Fernanda Zarzuela, coordenadora Técnica da Bayer.
De acordo com Zarzuela, o crescimento das cidades e o aquecimento global são os principais causadores do aumento na proliferação e aparecimento do escorpião marrom e amarelo, preponderantes no Brasil. A boa notíca é que é possível fazer o controle de pragas urbanas com a colocação de inseticidas líquidos, em pó ou até mesmo iscas a base de gel com "efeito domino", em que o produto é transferido entre baratas, além de outros produtos para formigas, moscas e ratos.
Para o escorpião também existe solução, contudo, é necessário um cuidado maior, pois as soluções de uso comum não são eficientes. Os produtos que fazem o combate são de venda controlada, portanto é necessário entrar em contato com empresas especializadas e equipes treinadas de desinsetização para aplicação do produto que elimina o escorpião. Quando identificada a presença desses animais, a equipe de zoonoses deve ser acionada e uma empresa de controle de pragas especializada deve ser chamada. (fonte: Bayer)

0
0
0
s2sdefault