Prezando pelo principio da razoabilidade, seriedade e bem estar da população, o superintendente da Agência Reguladora de Porto Ferreira, Élcio Arruda, indeferiu na última semana o pedido e reajuste na tarifa de esgoto, protocolado pela BRK Ambiental, na qual solicitava que a cobrança passasse a 100% no valor da água.

Entre os argumentos apresentados pela concessionária, estão que a cobrança estaria prevista em contrato, à partir do sexto ano de concessão, ou seja, desde 2016, investimentos já realizados, conclusão da ETE Fazendinha, com o esgoto tratado chegando a 75%, o que estaria causando um desequilíbrio econômico-financeiro em favor do município. Por determinação do superintendente Élcio Arruda, o pedido da Concessionária passou por análise da divisões jurídica e financeira, e os pareceres, foram de que não se poderia mensurar um desequilíbrio contratual, sem uma ampla análise por uma consultoria especializada e ainda mais tendo a Concessionária descumprido o plano de metas, inclusive com aplicação de multas, efetuadas pela Agência Reguladora. "É praticamente inadmissível que a Concessionária, solicite este reajuste para 100% na tarifa de esgoto, equiparando-se com o valor cobrado pela água, ainda mais se considerarmos o não atingimento de metas, devido ao investimento ter sido menor que o previsto em contrato, este também é o posicionamento do prefeito Rômulo Rippa, que é o de não autorizar, qualquer tipo de reajuste neste momento, nossa população pode ficar tranquila, quanto a isso". Finalizou Arruda.

 

0
0
0
s2sdefault