Os antigos funcionários do frigorífico do Grupo Agropecuário Maristela, que encerrou as atividades em Porto Ferreira devido a problemas financeiros, começaram a responder, por meio de seus advogados, sobre a proposta apresentada pela empresa para quitar os débitos trabalhistas. Ao todo são 194 ex-funcionários que ajuizaram a ação.

Na semana passada o Jornal do Porto trouxe reportagem exclusiva que abordava a situação das ações trabalhistas movidas pelos antigos funcionários. Segundo foi apurado, o Diário Oficial da Justiça publicou no dia 19 de junho um despacho da juíza do Trabalho da Vara de Porto Ferreira, no qual a magistrada concedia um prazo de 20 dias para que os advogados dos antigos trabalhadores da empresa, que ajuizaram ação na Justiça do Trabalho, repassassem aos seus clientes a proposta feita pela Maristela a respeito dos débitos trabalhistas.
A empresa, financeiramente arruinada e com sua planta industrial desativada há mais de um ano, está propondo quitar os débitos trabalhistas com a entrega de sua planta industrial aos ex-empregados (imóveis e equipamentos). O frigorífico fica na rodovia SP-215, sentido Descalvado, próximo ao Jardim Anésia e Jardim Águas Claras.
Segundo avaliações apresentadas com a proposta, atualmente os imóveis e equipamentos podem alcançar valor de aproximadamente R$ 27 milhões.
Além do expressivo passivo trabalhista, o Grupo Maristela também ostenta grande passivo fiscal. No entanto, caso os trabalhadores aceitem a proposta, os bens lhes serão entregues em forma de “dação em pagamento”, inteiramente livres de quaisquer ônus, tendo em vista a preferência do crédito trabalhista.
Manifestações - Esta semana o Jornal do Porto teve acesso ao andamento do processo trabalhista, após a concessão do prazo dado pela Justiça do Trabalho. São vários advogados que representam grupos de trabalhadores do frigorífico.
As manifestações sobre a proposta variam. Alguns advogados disseram que seus clientes aceitam a proposta oferecida. Outros, concordam com a designação de uma audiência de conciliação para melhor exposição das condições elencadas na proposta.
Por outro lado, alguns se manifestaram contrários à proposta e expuseram os seus motivos, mas aceitam participar de uma audiência de conciliação se determinadas ações foram tomadas pela empresa.
Alguns advogados ainda apontaram outros caminhos, como a realização de leilão dos bens. E outros ainda solicitaram a inclusão de um outro imóvel pertencente ao frigorífico na proposta oferecida.

0
0
0
s2sdefault