MP arquiva processo contra Câmara
Ver matéria sobre esse assunto na página 7. Sem comentários de minha parte sobre a decisão do Ministério Público, e peço desculpas aos meus leitores que já se cansaram. Mas...

Essa eu não entendi
O presidente da Câmara de Porto Ferreira fez um manifesto lido na sessão do Legislativo e divulgado por alguns sites. E só o fez depois, claro, de ter a certeza da denúncia de um vereador ser arquivada. Porque apesar de toda a certeza da inocência, a maior preocupação do presidente da casa era dizer quem era passivo e quem era ativo nessa orgia. Mas nunca houve defesa ao funcionário público através do ordenador público e muito menos de qualquer vereador. Ficaram em cima do muro (típico), até porque a Câmara nem havia sido comunicada judicialmente para os esclarecimentos, né! Mas acho que não o fizeram antes, nem enviaram ou procuraram a imprensa, talvez por medo de não trair suas próprias certezas e, quem sabe, a própria consciência.

Essa eu não entendi 2
Mas... ele (presidente da câmara) disse: “A impressão extraída do comportamento estranho, agressivo e alucinado do vereador denunciante provavelmente justifica o seu ato impulsivo. Esse representante, que não foi eleito pelo povo – com certeza aí está o peso de carregar esse fardo durante o mandato e a inveja dos colegas eleitos, diferentemente do exemplo de outro suplente na Casa, mas com maturidade para o mandato”. Opa, opa, opa... peraê, como é isso? Um vereador não foi eleito? Vixi, o que ele está fazendo lá então? Essa eu não entendi. Depois quer exigir respeito, oras, faço-o por receber.

Essa eu não entendi 3
Suplente não é votado e eleito também pelo voto popular? Querendo desmoralizar o vereador denunciante, ele (presidente da câmara) imputa que os outros querem desmoralizá-lo e faz o mesmo (mania de perseguição, talvez). Depois não quer que esse colunista escreva tamanho destempero e arrogância de uma barbaridade dessa. E o vereador em questão foi diplomado como tal. Não como suplente, mas como vereador mesmo, diga-se de passagem.

Má-fé
O Jornal do Porto e esse colunista viraram pauta, novamente, de novo e outra vez, de um vereador na tribuna da Câmara Municipal, dizendo que o semanário usou de má-fé. Sabes que eu gostaria de saber onde e por que usou de má-fé em sua divulgação? Será que esse vereador está acima da lei? Mas essas afirmações serão questionadas com certeza. Vamos aguardar.

Má-fé 2
E por que o atual presidente da Câmara cobra desse semanário e o culpa pelos gastos da Administração em editais sempre que tem uma oportunidade? Será que é para depois cobrar da atual Administração atitudes? Isso não é perseguição? Isso não é má-fé? E por que vocês, vereadores, não retiram de seus próprios salários em beneficio daqueles que tanto necessitam de ambulância e remédios e pratiquem a tal economicidade (em torno de mais de R$ 400 mil por ano por algumas horas em sessão ordinárias)? Isso seria uma utopia. Até porque votaram por unanimidade seus próprios aumentos de salários. Mas... são as empresas que prestam serviço é que oneram o governo. Poxa é verdade!

Manifesto
Em um texto muito mal argumentado por sinal, com ofensas e palavras chocantes e que não segue a linha editorial deste jornal nem para sequer publicá-lo de modo algum por tanta falta de decoro, imensurável respeito com as pessoas, fajuto, imensamente grande e contraditório em suas convicções, sempre só se referindo a ele em uma soberba impar. Aliás até o termino dessa coluna quinta-feria (24). Nenhum pedido foi protocolado aqui em nossa redação, como disse e escreveu em seu pifem e infame manifesto de senhor perseguido.

O presidente
O presidente da Casa de Leis de Porto Ferreira continua com sua conduta daquele tipo “não me relem e não me toquem”. E tudo culpa da impressa (parece mania de perseguição). Quer ser público (político) e não quer, como ele mesmo já o fez nas páginas desse jornal (pois o papel aceita tudo) com outros políticos, receber crítica alguma.

O presidente 2
Quando o presidente fazia como vereador seus pedidos “nada tendenciosos” contra quem estivesse no poder para se autopromover nas custas de perseguições a outras Administrações, se dizendo fiscalizador e falando sempre em alto e bom som “irei caçar esse prefeito(a)”, inclusive também fez um pedido à Promotoria e que foi arquivado na época, e que não foi citado pelo próprio à imprensa na ocasião (inquérito civil nº 163/2015, lembra-se presidente da Câmara desse fato?) e por que não bateu na mesa como está fazendo agora? E o que percebemos é que seu discernimento está confuso. É que o peso da responsabilidade de um cargo como esse tão almejado há tempos atrás lhe está trazendo um certo desequilibro físico e emocional. Talvez por falta de experiência em ordenar orçamentos, tratar com humildade os companheiros, e aqueles que divergem de sua opinião. Mas... quem sabe a experiência e o tempo lhe mostrarão como ser mais hábil.

41 anos
Por isso, digo, “enquanto os cães ladram, a caravana passa”. Vocês estão vereadores, tudo passa. Agora, uma empresa como o Jornal do Porto, que completará no próximo dia 5 de junho seus 41 anos, não deveria estar na boca de certos vereadores, sendo tratada como sendo parte da sua escória política despreparada e alucinada.

Alguns políticos
Ouvi que alguns vereadores estão reclamando de seus nomes não aparecerem mais em matéria do Jornal do Porto. Vejam bem. Se o jornal, segundo alguns políticos, os ofende, briga e vocês vereadores reclamam de tudo que é escrito, agora me digam qual o motivo teria este semanário de continuar uma parceria com alguns desses vereadores?

Alguns políticos 2
Vejo que alguns políticos estão prematuros em sua jornada, se apegam no que podem para se manterem nessa empreitada e querem aparecer de toda forma. Agora me digam, uma imprensa que está há mais de 40 anos trabalhando e informando a população, que aceita (e sempre aceitou) as diferenças de opiniões, pois faz parte desse contexto, estaria sendo humilhada praticamente toda semana na tribuna da Câmara por certos ‘‘políticos’’, essa imprensa estaria errada? Como dizem por aí, onde há fumaça, há fogo.

Papel
O papel impresso aceita tudo que é escrito. Até aceitou alguns covardes que hoje o criticam. E mais engraçado é que as tribunas dos políticos em suas Câmaras são mais ou menos iguais. Saem tantas asneiras, bobagens, que demonstram a tremenda falta de preparo de alguns políticos. Isso fica também às vistas de todos os cidadãos que, talvez por esse motivo, os fazem chacota. Alguns desses políticos menos desavisados e preparados votam sem saber em que estão votando, só porque alguns ‘‘mais espertos’’ os manobram com muito mais facilidade poucos minutos antes de cada sessão, junto com uns que já tem a certeza de serem mais espertos e manobram os votos. Só talvez!

Verdade
Existem alguns políticos querendo desmoralizar e desqualificar em uma tentativa em vão as qualidades deste semanário, que tantos serviços prestou e presta a essa comunidade, a esses políticos. Digo: ‘‘fidelidade igual a deles e de alguns, que falam uma coisa e fazem outra, para mim é dispensável, repelidas e enxotadas do meu círculo de amizade com muito prazer. Traição e mentiras só servem para alguns políticos’’.

Enquanto isso...
Este colunista vai continuar, sim, escrevendo, observando, defendendo o Jornal do Porto, ouvindo bastidores. Afinal, é também o papel de um cidadão, inclusive para poder se defender, pois, até hoje, nenhum vereador ou presidente da Câmara veio até o Jornal do Porto ou até este colunista pedir para que subisse na tribuna da Câmara para ter a Palavra Livre para se defender de acusações as quais já lhes foram imputadas várias e vezes, de novo, outra vez e novamente. Ou já fizeram isso?

Dever e obrigação
Temos todos nós o direito de defender nossos interesses e divergir opiniões. Mas... quem faz as leis são os mesmos que as corrompem e temos que concordar com isso? Não, o que somos é obrigados a aceitar e não obrigados a concordar.

Pau mandado
Existem pessoas que para se promover precisam esculachar, ofender, denegrir, se achando o defensor dos menos favorecidos. Mas é só dar uma molhadinha em sua mão que fica tudo tranquilo. Isso sim é profissional, formado e estudado, que se reveste do mal e rancor para se promover. Pois só assim poderia aparecer para uma pequena e insignificante parcela de pessoas rancorosas, porque de outro modo, com o seu caráter AUTO SEQUESTRADO, mostra-se que é apenas um anarquista sem causa.

Pau mandado 2
Existem pessoas que usam de seu “diproma”, pois mamãe e papai disseram que para ser alguém é preciso ter estudo. Sabe que até concordo, mas nem sempre esses “estudados” têm a experiência e o caráter que é necessário para ter seu próprio negócio, sem extorquir e ser extorquido ou ameaçar as pessoas com seus lindos “dipromas”. Daí então depois corre nos braços do poder público, para quem sabe se tornar um marajá também, pois a obsessão, ganância ou talvez inveja o façam seguir os mesmos passos de outros. Mas... o que seria do vermelho se não existisse o amarelo?

Profissional
Existem profissionais e profissionais. Nada de copião. Quando o fizer, favor colocar na íntegra, sem mudar nada, para seu benefício próprio, usando sua fonte própria. Isso sim seria um ato profissional. Agora, usar o que outros escrevem para poder aparecer e ainda julgar o que é certo ou errado só para ter o embate com as pessoas e se auto promover, credo em cruzes, que coisa feia, expor pessoas e se auto intitular o “profissional”, o perfeito em sua empreitada. Vixi, que horror, talvez por isso não seja tão bem quisto na sociedade e que, aliás, já foi escorraçado uma vez e teve de sair daqui da cidade com o rabinho entre as pernas, ai ai ai. Talvez por isso não goste de nada e nem de ninguém daqui.

Profissional 2
Chamar empresários, políticos, profissionais e quem puder para briga pessoal só para poder aparecer. Será isso que é profissional e o verdadeiro jornalismo? Esse tipo de profissional já tá mais manjado e ultrapassado que qualquer coisa. Por isso não vou render mais detalhes para justamente esses “profissionais” não pegarem carona. Aliás, a esse “profissional no jornalismo” peço encarecidamente que faça igual e se mostre um verdadeiro jornalista que se julga ser e que considero que seja. Afinal, querer ser ou ter nunca será poder ser ou ter.

Correndo atrás
Vemos hoje em dia na internet os fakes, blogs, facebook, site e “sites” colocando material de divulgação, sem responsabilidade alguma em um sensacionalismo futil e indesejado por boa parte da população. Só que o mais engraçado é que estão sempre correndo atrás do papel impresso, estão sempre atrasados, apesar da rapidez e agilidade que temos hoje em dia. Costumeiramente só usando o famoso copiar e colar e que infelizmente usam dessas ferramentas para extorquir, degradar, ofender e arrancar dinheiro das pessoas. Que feio! A não ser que arrume um carguinho na teta do governo, como já vi muitos. Daí sim fica tudo tranquilo.

0
0
0
s2sdefault