A Apae de Porto Ferreira, instituição localizada no Jardim Porto Novo e que enfrenta muitas dificuldades para cuidar de centenas de portadores de necessidades especiais, vem sofrendo com a falta de respeito de pessoas que insistem em usar uma das calçadas da entidade como depósito de lixo.

São vários materiais ali depositados, mas principalmente restos de podas de árvores, limpeza de quintais e até móveis velhos, como sofás.
Com a intenção de sensibilizar os infratores, a Apae providenciou uma faixa e a afixou no alambrado que fica na avenida das Acácias, com os seguintes dizeres: “Educação: vamos cuidar da limpeza de nossa escola. Pare, pense, mude!”
Segundo alguns membros da diretoria da Apae ouvidos pela reportagem, nem a grande faixa afixada foi suficiente para cessar o desrespeito, pois toda semana novos episódios são registrados. “Para um desconhecido, parece que a Apae é que não cuida do seu próprio espaço”, aflige-se o membro da diretoria.
O artigo 6º do Código de Posturas de Porto Ferreira (lei municipal 1.958/95) é muito claro: “Não será permitido o depósito de entulhos ou de outros resíduos sólidos no passeio público ou no leito carroçável das vias públicas”.
Para piorar a situação, a instituição foi alvo de um novo furto durante o Carnaval. “Fazemos novamente um apelo a todos para que não usem nosso passeio como depósito de lixo. Também pedimos aos nossos amigos que relatem às autoridades qualquer flagrante de ocorrência do tipo”, finalizou a diretoria.

0
0
0
s2sdefault