Mais uma vez
Outra vez, novamente e de novo o presidente da Câmara de Porto Ferreira culpa o jornal por notícias de altíssimo interesse público divulgadas neste semanário. Como se o que acontece fosse culpa do jornal, que em nenhum momento emitiu juízo de valor sobre nada, apenas reportou os fatos. Caramba, rapaz, só estamos noticiando.

Obscuro?
O presidente usou a tribuna para dizer que tem algo obscuro por trás das notícias. Então volto a dizer, o jornal só publicou notícias sobre fatos. Desenhando para quem não entendeu, houve uma representação (denúncia) ao Ministério Público, feita por um próprio vereador, e agora esta representação virou inquérito no MP. O jornal também divulgou logicamente a manifestação do presidente feita até então, aquele tal esclarecimento dizendo que iria esclarecer as coisas.

Além
Aliás, nós fomos sim um pouco além do que continha a representação. Mas isso se chama trabalho jornalístico. Com dados totalmente oficiais, do portal de transparência da Câmara, informamos que as compras com a empresa envolvida aconteciam desde a gestão anterior. E citamos valores, números e outros dados. Nada inventado. Tudo registrado.

Culpa da imprensa
Mas outra vez, novamente e de novo o rapaz se isenta dos fatos supostamente irregulares, jogando no ventilador, pelos microfones da Câmara, o nome do funcionário público envolvido (coisa que o jornal não fez, justamente para preservar o dito cujo, que não é figura pública), que ele chama de polo passivo, e do acusador (ativo). Pela fala toda rebuscada de polo daqui, polo de lá, parece que tudo aconteceu no Alasca, na Rússia, menos debaixo de seu nariz e como se não fosse ele quem assinasse e autorizasse as compras. Mas para quem sempre se auto intitulou o vigilante dos atos públicos, fica difícil aceitar esse desconhecimento todo, se é que ocorreu algo ilegal. Caramba, rapaz, essas compras já existiam desde quando você era vereador em mandato passado.

Culpa da imprensa 2
Outra vez, novamente e de novo o presidente da Câmara cita o Jornal do Porto como se fosse o acusador de alguma coisa. Depois de tirar os atos oficiais e “O que Tramita pela Câmara”, que fazia os trabalhos dos vereadores serem amplamente divulgados, agora quer acuar, ameaçar e censurar a imprensa dizendo que ela tem culpa pelos fatos ocorridos e que tem interesses obscuros. Caramba, rapaz, você conviveu aqui de dentro da redação e agora o jornal não tem mais a mesma índole do passado? Ou será porque não serve mais para seus interesses políticos? O que é isso, rapaz, tenha a santa paciência.

Culpa da imprensa 3
Inclusive, tem uma empresa que está prestando serviço na Câmara Municipal e que está fora do prazo de entrega da obra, ainda dando certo calote nos comerciantes locais. Ahh, isso é culpa da imprensa também! Não querem que seja mostrado nada que desabone, só querem elogios, querem calar a imprensa. Para com isso, rapaz.

Acusado
No jornal da semana passada não foi citado nada mais que os fatos. A abertura do inquérito pelo Ministério Público para apurar a denúncia, que é pública e notória para todos. Se a Câmara não estava ciente ainda dos fatos, ou não havia sido notificada, isso não nos compete. Mas, a partir que for comunicada, a Câmara Municipal e o seu representante, que no caso é o digníssimo presidente, também será intimado, porque queira ou não queira, és o responsável pelo o que ocorre dentro da Câmara. Ou não?

Trégua
Acho que o presidente da Câmara de Porto Ferreira deveria dar uma trégua contra nós da imprensa, pois creio que já foi ventilado demais o nome do Jornal do Porto, e até agora só quem tem suspeita formal de prática de atos obscuros não somos nós, mas quem nos acusa. A tática de inverter responsabilidades é velha e não cola.

Para encerrar
1 - Só temos um interesse com a divulgação dos fatos: o interesse público. Vem sendo assim nos últimos 40 anos. Quem foi daqui de dentro da redação, que já jogou muita denúncia ao vento pelas páginas do jornal, deveria saber.
2 – Se a representação ao MP não tivesse nenhum fundamento, teria sido arquivada, e não transformada em inquérito. Inquérito, investigação, é só isso mesmo, isto é, esclarecer os fatos. Esclarecimento que vem faltando à população pelo presidente do Poder Legislativo. O povo não quer discurso rebuscado, quer explicação, simples, clara, objetiva.
3 – Talvez seja este o problema, explicar. Porque se houve ato irregular e ele disser que não sabia de nada, mostra que não serve para comandar o Poder. Se era conivente, pior ainda.

Depois não quer que fala
Os vereadores ainda continuam na ressaca do Carnaval só apresentaram 3 requerimentos, ou é falta de propaganda ou é ressaca mesmo

STF julgará em março validade do auxílio-moradia para juízes
A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, marcou para o dia 22 de março o julgamento de mérito das liminares que garantiram o pagamento de auxílio-moradia a todos os magistrados do país, incluindo juízes federais, da Justiça Trabalhista, da Justiça Militar e estaduais. O pagamento foi liberado em 2014 pelo ministro Luiz Fux.Ao deferir duas liminares, Fux determinou que os tribunais fossem notificados para iniciarem o pagamento do benefício, atualmente de R$ 4,3 mil, por entender que o auxílio-moradia está previsto na Lei Orgânica da Magistratura (Loman - Lei Complementar 35/1979).De acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), o custo anual do auxílio é de aproximadamente R$ 435 milhões. O caso chegou ao Supremo por meio de ações de alguns magistrados e a Associação dos Juízes Federais (Ajufe). Todos alegaram que o auxílio-moradia está previsto pela Loman, mas o pagamento não era cumprido.

Desemprego
Pelo menos 18% da população da capital paulista, o que equivale a 1,763 milhão de paulistanos, estão desempregados. Desses, 14% (1,371 milhões) estão procurando emprego e 4% (391 mil) não estão. Os dados são de uma pesquisa feita pela Rede Nossa São Paulo, em parceria com o Instituto Ibope Inteligência, e divulgada hoje (21) em São Paulo. Segundo os dados, 44% estão nessa situação há um ano, 18% de um a dois anos e 29% estão sem trabalho há mais de dois anos.

Ministério
Até o final dessa coluna ser concluída não sabemos quem é o Ministro do Trabalho. Bem o que isso quer dizer? É nada. Da mesma forma que eles estando ou não no poder significam. mais parece que Helton Yomura, ficará no cargo até março como interino no Ministério.

0
0
0
s2sdefault