Notícias da Região: Pirassununga
De acordo com reportagem publicada no site G1 na última sexta-feira (21), médicos plantonistas do Pronto-Socorro da Santa Casa de Pirassununga atenderam menos pacientes naquele dia como forma de protesto por salários atrasados. O dia foi de longa espera para quem procurou atendimento.
Em nota, o Secretário de Saúde de Pirassununga, Edgar Saggiorato, confirmou que houve um atraso no pagamento por razões orçamentárias e que a situação já estaria sendo regularizada, mas não havia dado um prazo.

Cerca de 40 médicos da urgência e emergência participam da paralisação, que chamaram de estado de greve, desde a tarde de quinta-feira (20). Todos estavam trabalhando, porém, em uma espécie de “operação tartaruga”.
Os profissionais estavam seguindo o protocolo do Conselho Regional de Medicina. Cada um deles fazia apenas quatro atendimentos por hora, sendo três de rotina e uma urgência. O reflexo imediato foi no tempo de espera para aqueles que precisam de atendimento médico.
O diretor clínico, Álvaro Jardim, que é representante dos médicos que trabalham no local, disse que o problema vem de muito tempo. No ano passado os médicos da urgência e emergência ficaram dois meses sem receber. O problema continuou neste ano com muitos atrasos. Agora, o pagamento que deveria ter caído na conta no último dia 10 de setembro ainda não tinha sito feito até o dia 21.
“É uma ingerência, isso tem que acabar. Nós precisamos receber pontualmente pelo serviço que já foi executado”, disse.
A Santa Casa admitiu que os pagamentos dos médicos da urgência e emergência estãavam atrasados. O hospital tem convênio firmado com a prefeitura para prestação de serviços, só que os repasses não chegaram e isso prejudicou o atendimento no hospital.
“A prefeitura vem passando por dificuldades financeiras. Ela alega isso desde o ano passado. Já houve um atraso de dois meses que os médicos concordaram em trabalhar sem receber, em solidariedade, mas a coisa foi se repetindo e os médicos não aguentam mais essa situação”, explicou o diretor técnico do hospital, Octávio Morales.

0
0
0
s2sdefault