O prefeito Rômulo Rippa inaugurou na tarde de terça-feira (04/09) o Centro Municipal de Formação Profissional Irpo Perondi, no antigo prédio da Algodoeira Perondi, localizado na avenida Engenheiro Nicolau de Vergueiro Forjaz, no Centro.
A cerimônia contou também com as presenças do vereador Antônio Carlos Correa (PMDB), secretários municipais, representantes das entidades parceiras – Maria Júlia Valdo Mascaro (Senac), Elton Yokomizo (Sebrae) e Márcio Vieira (Senai) –, convidados e muitos familiares do empresário Irpo Perondi, falecido em maio deste ano, entre eles a esposa Layr, os filhos Andréa, Valéria e Pérsio e netos.

Em seu discurso, o prefeito Rômulo Rippa enfatizou mais esta conquista para a área de empreendedorismo da cidade e também de emprego e renda. Segundo ele, o ensino e a capacitação profissionalizantes são as melhores ferramentas para promover a emancipação do cidadão.
O Centro foi criado pela lei municipal 3.452/2018, aprovada pela Câmara e sancionada pelo prefeito no início do mês. Trata-se de um equipamento público que tem por objetivo a capacitação dos cidadãos em cursos de formação técnica básica, qualificando-os para o mercado de trabalho e preparando colaboradores e/ou empreendedores, reconhecidos por sua excelência profissional. Para isso, haverá parcerias com entidades como o Senac, Senai, Sebrae e Sert (Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho).
O CMPF ficará subordinado à Secretaria de Educação, que o dotará de espaço físico, recursos materiais e humanos necessários ao seu funcionamento. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo ficará responsável pela orientação técnica dos programas, cursos, treinamentos, aperfeiçoamentos, especializações e outras ações de formação profissional que serão desenvolvidas.
Os programas deverão priorizar as formações profissionais diagnosticadas como necessidades do mercado de trabalho, potencializando a empregabilidade dos cidadãos formados.
O Centro poderá ainda realizar convênios, parcerias, termos de cooperação e contratos com entidades públicas e privadas, que tenham por objetivo a formação profissional.
Irpo Perondi
Filho de Perondi Igínio e Iracema Maria Amélia Perondi, Irpo nasceu em Pirassununga, no dia 2 de março de 1925. No mesmo ano, a família se mudou para Porto Ferreira, quando Irpo contava com 3 meses de vida.
Casou-se com Layr Pereira, na Igreja Matriz de Pirassununga, em 21 de julho de 1957. Da união, nasceram os filhos Andréa, Valéria e Pérsio.
Irpo frequentou o Grupo Escolar de Porto Ferreira (Emef Sud Mennucci) e desde a juventude recebeu do pai, notável industrial, os ensinamentos de que o trabalho dignificava o homem. Deste modo, foi classificador de algodão em pluma e caroço e diretor superintendente da Fiação Amélia ao longo de 40 anos.
Nos momentos de lazer jogava futebol e bocha, frequentava os bailes e viajava bastante. Procurava, sempre, expandir as amizades. Contudo, a dedicação ao trabalho era absoluta. Tanto que a empresa da família, por ele dirigida, possuía expressivo quadro de funcionários, sobretudo, mulheres, considerando os trabalhos da fiação.
No caráter social, Irpo foi diretor e presidente do Porto Ferreira Futebol Clube.
Em 1962, atuou na campanha dos telefones automáticos e na mesma época foi eleito por 3 anos contínuos presidente do Centro Municipal de Assistência de Porto Ferreira, hoje Creche Roberto Henrique João.
Irpo participou da política local, eleito vereador e à frente da Mesa da Câmara, como presidente, em 1970. Dentre seus feitos, atualizou o Regimento Interno da Casa de Leis. Também elaborou o projeto para a industrialização da cidade, com a ajuda e companhia do então vereador Flávio da Silva Oliveira.
Conseguiu, junto ao IBGE, a recuperação do território de Porto Ferreira, em 20%.
Em 1971, a convite de Assis Chateaubriand, palestrou em Cruz das Almas (BA) e Recife (PE) sobre o cultivo da cotonicultura herbácea, visando o aumento da produtividade para aquela região.
Em 2015, recebeu da Câmara Municipal o título de Cidadão Ferreirense, pelos relevantes e beneméritos serviços prestados à comunidade ferreirense.
Faleceu no dia 15 de maio de 2018, aos 93 anos de idade, deixando um legado de trabalho e desenvolvimento no município ferreirense.
Fonte: Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos - Prefeitura de Porto Ferreira

0
0
0
s2sdefault

Jornal do Porto TV