A Secretaria de Saúde de Porto Ferreira, por meio da Vigilância Epidemiológica, e a Divisão de Meio Ambiente da Prefeitura reforçam o alerta sobre o descarte irregular de seringas e agulhas no lixo domiciliar.
Nos últimos meses houve um aumento no número de acidentes com os coletores de lixo por materiais pérfuro cortantes (agulhas), que na maioria das vezes são jogados em saco de lixo preto domiciliar.

O servidor que sofre perfuração entra como acidente de trabalho e precisa tomar por 28 dias medicamento antirretroviral (coquetel para HIV), por não saber quem utilizou o material.
Uma simples ação de descarte adequado poderia evitar esse transtorno para o coletor, sem dizer dos efeitos colaterais que esses medicamentos causam. A chance de ocorrer uma transmissão de HIV, hepatites C ou B, entre outras, é alta e esse servidor fica em acompanhamento por 6 meses pela Vigilância Epidemiológica, realizando testagem para as doenças citadas.
A Vigilância orienta a quem faz uso de medicamento injetável, como insulina ou outros, que descarte as seringas e agulhas em uma garrafa pet. Quando a mesma estiver cheia, deve levá-la que até a Unidade de Saúde mais próxima para o devido descarte, evitando assim que outras pessoas possam se ferir com o material descartado indevidamente.
Se no caso for vidro, a Vigilância orienta para embalar muito bem esse recipiente em papel, jornal e/ou se possível colocar em caixa de papelão identificando que ali tem material como vidro/louça para que ninguém se machuque pelo manuseio do material.
Qualquer dúvida entrar em contato com a Vigilância Epidemiológica pelo telefone 3585-2993.
Fonte: Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

0
0
0
s2sdefault

Jornal do Porto TV